É de se estranhar um texto sair mais de 36 horas depois do Gp, mas eu não sou chinês então vi a corrida na manhã de domingo. De quebra, não tive que aturar o Galvão e não corri o risco de dormir.

Voltando ao tema, quem realmente caiu no sono na chata primeira parte da corrida, não viu o caos na terra que aconteceu depois do Safety Car.

Só que antes vamos abordar o início. Bottas ganha a segunda colocação de um kimi mais conservador que o Bush, e Verstappen ganha a preferência na curva dois e passa Hamilton. As Red Bulls sendo as únicas da frente a largar com ultramacios, pararam antes e na mesma volta. Foi aí que começou a estratégia vencedora do time. Ainda na rodada de pits, Vettel perde a liderança para Bottas.

É importante mostrar o contexto até aí para entender o quanto a panca de Gasly no seu companheiro Hartley mudou a prova. Se não fosse isso, Bottas provavelmente ganharia, e Kimi ficaria bem atrás já que foi devidamente sacaneado pela Ferrari, ficando 532 voltas sem ir aos boxes para atrasar seu compatriota rival.

O Safety Car foi chamado na hora errada pela organização, visto que os dois líderes já haviam passado pela entrada dos boxes, não os permitindo parar. Isso ficou bem claro, mas a Red Bull não tem nada a reclamar e foi a única das equipes de ponta a colocar macios na reta final. Lembrando que os concorrentes estavam de médios meio gastos, a vantagem das RBR era nítida e com isso foram escalando o pelotão.

Resultado de imagem para gp china f1 2018
Toque de Max em Vettel (Fonte: Marca)

Aliás, Max vinha tentando escalar, só que parecia mais um Nigel Mansell com derrame. Saiu da pista tentando ultrapassar o Hamilton e depois quis mostra ao Gasly como bater no carro da frente sem se quebrar todo. Nessa, quem se quebrou foi Vettel, que se arrastou depois de rodar e terminou em oitavo. Verstappen poderia ter vencido mas foi só quinto com sua penalidade. Já Ricciardão, mostrou como se ultrapassa sem afobação, limpando o pelotão e ganhando brilhantemente. Ironicamente para a Ferrari, Kimi completou o pódio atrás de Bottas, aproveitando melhor a rodada de Max e Seb do que Hamilton.

Estratégia da Red Bull dá vitória a Daniel Ricciardo no GP da China. Foto: Reprodução

Notas sem notas

Bom, é hora de avaliar os pilotos mas sem dar a nota para não gerar polêmica. Tipo um Master chef, só que eu não tenho o poder de eliminar o Stroll.

Ricciardo

O melhor ultrapassador da F1. Sempre freando mais tarde e sem fritar os pneus. Preciso em todas os movimentos de ataque.

Bottas

Como foi dito, iria ganhar a corrida não fosse o Safety Car e a hora errada de chama-lo. O seu único porém foi deixar a porta um pouco aberta para Daniel fazer uma bela ultrapassagem. Não que ele não fosse faze-la em outra oportunidade.

Raikkonen

Depois de uma boa largada, teve sua porta fechada por Vettel e Bottas aproveitou para tomar sua posição. Depois disso, infelizmente foi sacrificado para tentar ajudar Sebastian. Como tinha pneus mais novos, ainda tentou tirar a segunda colocação de Valteri, mas a diferença de carro e pneu não era tão grande a ponto da manobra ser efetivada.

Hamilton

Muito estranho o começo de ano de Miltão. Não tem tido ritmo nos treinos e nas corridas. Vamos ver quando a Mercedes resolverá o problema de aquecimento dos pneus e quando ele irá acordar.

Verstappen

Nosso digníssimo Nigel Mansell com paralisia. Bom, talvez ele esteja traçando um plano maligno que tenha como objetivo borrar de medo o cara da frente com sua simples presença atrás dele (e a possibilidade de um acidente), fazendo com que abram a porta. Se não for isso (porque nesse caso, é completamente digna a estratégia), é melhor o cara tomar um rivotril e se acalmar. Lembrando que ele eventualmente ultrapassaria os carros à frente sem precisar dublar alguém da Al Qaeda. O fato é que tem mais velocidade que o Ricciardo, só falta a inteligência e constância do companheiro.

Hulkenberg

O alemão está dando um baile no rápido Sainz e vem bem no campeonato. Agora, pódio para ele no ano ainda vai ser difícil.

Alonso

Talvez o piloto que esteja entregando mais performance no ano. O estranho é que a McLaren ainda tem muita falta de ritmo nos treinos classificatórios (Motor Honda nos sábados e Renault domingo?) mas anda junto com as Renaults no domingo, o que faz o espanhol sempre pontuar.

Vettel

Azar foi a palavra que resume seu domingo. Foi rápido, mas a estratégia da Ferrari de não chama-lo para o pit assim que Bottas foi chamado começou a estragar sua corrida. Verstappen terminou de estraga-la.

Sainz

Pelo bom carro da Renault, ainda tem o que evoluir na temporada, e pontuar foi um bom caminho para isso.

Magnussen

Embora venha botando Grosjean no bolso, se espera mais da competitiva Haas, que ainda não entregou o que promete.

 

 

Comenta aí: