A temporada dos Buccaneers terminou de uma maneira melancólica na semana 17 da NFL, uma derrota para os Falcons por 32×30. Dessa forma, os Bucs finalizaram a temporada com uma campanha de 5 vitórias e 11 derrotas, na lanterna na NFC South. Essa campanha medíocre causou a demissão do treinador Dirk Koetter, que em 3 anos conseguiu 19 vitórias e 29 derrotas a frente dos Bucs. Contudo, na NFL sempre existe uma luz no fim do túnel, com o famigerado Draft. E os Buccaneers estão em uma boa posição, a 5ª escolha geral e agora cabe ao General Manager Jason Licht fazer as escolhas corretas.

Segundo a imprensa de Tampa Licht já está trabalhando e a bola da vez para assumir o comando da equipe é o ex-treinador do Arizona Cardinals, o veterano Bruce Arians. Assim, com a contratação de Bruce, se espera que os Bucs consigam uma temporada positivia em 2019. O treinador conseguiu bons números comandando Carson Palmer no Arizona, 40 vitórias e 27 derrotas, levando a equipe duas vezes aos Playoffs.

O que os Buccaneers precisam melhorar para a temporada 2019?

Claramente o problema não está no ataque dos Buccaneers, a equipe teve uma média de 24.8 pontos(24º no geral), 415 jardas totais(3º no geral) e 320 jardas aéreas(1º no geral) por partida. Desse modo, nossos olhos se vão para a defesa, que foi um verdadeiro desastre na temporada. No total a defesa cedeu 464 pontos, ficando apenas a frente dos Raiders. Outro ponto que assunta é o número de jardas cedidas por partida, um total de 6.134, novamente a segunda pior marca.

Como podemos observar pelos números, a defesa realmente precisa se reforçar para a próxima temporada, mais precisamente a secundária. Dessas 6.134 jardas, 4.151 vieram de jardas aéreas, assim demonstrando a peneira que foi esse setor na temporada. Contudo, com a quinta escolha geral do Draft, os Bucs tem boas opções para resolver esse problema. O cornerback Greedy Williams de LSU ou o free safety Deionte Thompson de Alabama são os melhores nomes dessa classe.

Andraez “Greedy” Williams foi eleito para o “2018 College Football All-America Team”, ele é o favorito para ser escolhido pelos Buccaneers no próximo Draft. Foto: Chris Graythen/Getty Images

A linha defensiva formada por Jason Pierre-Paul, Gerald McCoy, Vita Vea e Carl Nassib teve boas atuações na temporada, com um total de 33.5 sacks e 143 tackles. Já o grupo de linebackers sofreu com a lesão de Kwon Alexander porém Lavonte David deu conta do recado, somando 120 tackles e 3.5 sacks.

Ataque

Mas não é porque o ataque obteve bons números que ele não precisa ser reforçado. Existem duas grandes lacunas no ataque dos Buccaneers, o jogo terrestre e a linha ofensiva. O jogo terrestre ficou na 29ª posição geral nessa temporada com apenas 95.2 jardas por partida. Desse modo, os Bucs precisam de um jogo terrestre não só para conquistar jardas e marcar pontos, mas para também dar o suporte necessário para Jameis Winston conseguir trabalhar no jogo aéreo.

Como eu já disse em alguns textos nessa temporada, o ataque unilateral favorece a defesa que está esperando o passe, e um bom ataque terrestre coloca uma grande dúvida na cabeça dos defensores. Alguns meios de comunicação dos Estados Unidos colocam Le’Veon Bell como um dos favoritos a assumir essa posição nos Buccaneers. Bell além de correr muito bem com a bola é um excelente jogador recebendo passes, seja no backfield ou alinhando como um wide receiver. Assim, cairia como uma luva nas mãos de Todd Monken(Coordenador ofensivo) e Winston.

Bell não atuou nessa temporada por conta de um litígio com o Pittsburgh Steelers, na temporada de 2017 ele teve 1.946 jardas totais e 11 touchdowns. Foto: Reprodução/Twitter

A linha ofensiva também precisa melhorar seu rendimento para a próxima temporada, não só defendendo seu quarterback como também diminuindo o número de faltas. Dessa forma, foram 28 faltas por holding e 16 por false start com um total de 354 jardas perdidas, esses números prejudicaram muito o ataque. Além das faltas, o quarterback foi sacado 41 vezes. Um outro ponto que não entra em estatísticas mas que é bom citar é o número de jardas ganhas pelo quarterback. Winston obteve 281 jardas correndo com a bola na temporada, muitas vezes improvisando corridas por conta do desmoronamento do pocket. Algum movimento deve ser feito para ajudar Ali Marpet na linha ofensiva, antes que nosso signal caller saia machucado como ocorreu em 2017.

Ryan Jensen(66), Demar Dotson e Donovan Smith deixaram a desejar na atual temporada, Jensen inclusive foi visto discutindo asperamente com Winston na side line durante a temporada. Foto: Mike Ehrmann/Getty Images.

Conclusão

Se as previsões feitas se confirmarem, com a adição de Bell, Greedy e Bruce Arians os Bucs tem tudo para brigar por por coisas maiores na próxima temporada. Outro ponto que temos que levar em consideração é a consistência e isso é o que faltou para os Buccaneers na atual temporada. Brent Grimes e Desean Jackson já são cartas fora do baralho praticamente e o que resta agora é observar como Litch irá trabalhar durante a offseason. Mas uma coisa é fato, se o time não se reforçar as coisas não vão sair do lugar.

Dessa forma, o fundamental é montar um time para dar uportunidades para Mike Evans, Gerald MacCoy, Jason Pierre-Paul e Jameis Winston irem para os playoffs e não desperdiçarem mais um ano de sua carreira brigando apenas por posições no Draft.

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here