Após o New England Patriots conquistar o Super Bowl diante do Los Angeles Rams chegamos ao período mais dificil para o fã de futebol americano, a off-season. Assim, teremos uma partida da temporada regular apenas em setembro. Contudo, entramos também em um dos períodos mais legais durante o período sem jogos, a free agency. Está aberta oficialmente a temporada de especulações sobre contratações e escolhas de draft.

Para os Buccaneers esse período sera de suma importância após a ousada escolha de Bruce Arians como treinador da equipe. Após duas temporadas tenebrosas, somando 10 vitórias e 22 derrotas, os Bucs esperam no mínimo uma temporada com uma campanha positiva. Entrentanto, para isso acontecer, aquisições deverão ser feitas para qualificar o elenco, principalmente na defesa. A secundária dos Buccaneers foi uma verdadeira peneira na última temporada e com a quinta escolha geral no draft e com bons jogadores em fim de contrato é a hora de trabalhar.  Assim, no texto de hoje, vamos citar 5 jogadores que que devem ser prioridades dos Bucs durante esse período.

Tyrann Mathieu – Safety

Como foi dito a introdução, a secundária dos Bucs foi um verdadeiro desastre durante a última temporada. Mathieu, junto com Earl Thomas, são os principais safetys disponíveis nessa temporada. Contudo, os Bucs possuem um trunfo para trazer o “Texugo do Mel”, o treinador Bruce Arians. Antes de Mathieu ser jogador de Houston Texans ele trabalhou com Arians nos Cardinals por 5 tempordas. Além disso, a aquisição de Todd Bowles para coordenador defensivo também é um atrativo a mais para o safety.

Mathieu é um verdadeiro “playmaker“, com um excelênte pocisionamento e leitura de jogo, tudo o que faltou para os Buccaneers nos últimos anos. O jogador possui 27 anos e já tem alguma experiência nos playoffs, e sem dúvidas pode ser um dos líderes da defesa se for realmente adquirido. Na temporada de 2018 ele disputou todos os 16 jogos pela equipe dos Texans e obteve 70 tackles, 3 sacks, 8 passes defendidos, duas interceptações além de ter forçado um fumble. O “Texugo do mel” foi eleito para a equipe all-pro da temporada de 2015.

Os Buccaneers não possuem um jogador do calibre de Mathieu desde quando Darrelle Revis atuou pela equipe de Tampa. Foto: Getty Images.

Ronald Darby – Cornerback

Novamente um jogador de secundária. A lesão de Hargreaves e o pífio desempenho de Brent Grimes foram dois fatores fundamentais para a péssima campanha da defesa dos Buccaneers. Dessa forma, Trazer um cornerback é uma das primeiras coisas a se fazer durante o período de free agency e Darby se encaixaria muito bem em Tampa. O jogador foi draftado pelo Buffalo Bills em 2015 e campeão com os Eagles na temporada de 2017.

Contudo, Darby sofreu uma grave lesão na semana 10 da última temporada e acabou não atuando mais pela equipe de Philadelphia. Ele não é um jogador tão badalado como Marcus Peters e Jalen Ramsey, mas para nos Buccaneers ele pode ser tornar o cornerback número 1. Assim, em suas duas últimas temporada com os Eagles ele soma 17 partidas com 77 tackles, 21 passes defendidos e 4 interceptações.

Darby foi fundamental na campanha dos Eagles que resultou na conquista do Super Bowl LII. Foto: AP Images.

Shane Ray – Linebacker

As melhores defesas na NFL são aquelas que pressionam o quarterback com consistência. Contudo, na temporada de 2018 os Bucaneers até que conseguiram esse efeito, mas não com uma certa regularidade. Carl Nassib e Jason Pierre-Paul foram os principais expoentes nesse quesito, porém apenas os dois não foram sufientes. Shane Ray pode ser uma aposta interessante para potêncializar o pass rush da equipe.

Ray, em suas duas últimas temporadas pelos Broncos não foi tão efetivo assim. Foram apenas dois sacks e 10 hits no quarterback. Entretanto, em 2016 ele foi uma verdadeira maquina indo para cima do signal caller. Ele obeteve 8 sacks e 21 hits no quarterback. Com o fim de seu contrato com Denver Broncos, os Buccaneers podem ser um bom lugar para recuperar sua boa forma. O grupo de linebackers pode sofrer uma grave perda com a possível saída de Kwon Alexander e Ray pode chegar para suprir essa carência.

Shane Ray fez parte da grande defesa dos Broncos que dizimou o Carolina Panthers no Super Bowl 50. Foto: Isaiah J. Downing/USA TODAY Sports

Mike Iupati – Offensive Guard

A linha ofensiva também foi um grande problema para os Bucs na temporada de 2019. Em grande parte dos snaps Jameis Winston ficava inquieto dentro do pocket. No total a linha cedeu 41 sacks, 28 faltas por holding e 16 por saída falsa, ou seja, um total de 354 jardas perdidas por faltas. Assim, mais um jogador de alto nível precisa ser adquirido para ajudar Ali Marpet durante os snaps. Mike Iupati pode ser esse jogador

Além disso, assim como Mathieu, ele também trabalhou com Bruce Arians durante sua passagem pelos Cardinals. Outra vez o treinador pode ser importante no recrutamento de jogadores. Iupati chegou a disputar o Pro Bowl sobre a batuta de Arians em 2015. O veterano, além de ser excelente protegendo o quarterback, será importante durante os bloqueios no jogo corrido. Aliás, o jogo corrido, foi outro ponto que faltou nos Bucs na última temporada.

Iupati atuou em 10 jogos pelos Cardinals na temporada de 2018. Foto: Matt Kartozian/USA TODAY Sports

Tevin Coleman – Running Back

O jogo corrido foi o principal “calcanhar de aquiles” do ataque dos Buccaneers nos últimos anos. Sem um jogo terrestre convicente, muitas vezes o ataque se torna unilateral, ou seja, apenas um ataque passador. Assim, esse foco no jogo aéreo facilita o ataque da defesa e mina a atuação do quarterback. Com a saída de Doug Marting, Peyton Barber assumiu a posição de corredor número um dos Bucs e decepcionou. Foram 3,7 jardas por corrida de Barber em 2018. O running back não apresenta os atributos necessários para trabalhar com Arians, que prefere um corredor que também seja eficiente recebendo passes e é nesse ponto que entra Tevin Coleman.

Coleman formou uma dupla excelente com Devonta Freeman nos Falcons e com o seu contrato chegando ao fim não é provável que ele fique em Atlanta. Na temporada de 2018 ele correu para 800 jardas, com uma média de 4,7 jardas por corrida e marcou 4 touchdowns. Além de ter recebido outras 276 em 32 recepções e recebendo para outros 5 touchdowns. Assim, ele seria perfeito no estilo de jogo imposto por Arians. Isso sem contar que ele é um dos corredores mais rápidos da liga. Será interessante observar Jameis Winston com um corredor tão dinâmico ao seu lado.

Coleman ajudou os Falcons a chegar ao Super Bowl na temporada de 2017, ele inclusive marcou um dos touchdowns naquela derrota diante dos Patriots. Foto: Al Bello/Getty Images.
Comenta aí:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here