Quando Avaí e Chapecoense começarem a partida no dia 30, no estádio da Ressacada, estarão dando inicio a terceira decisão de campeonato catarinense entre as duas equipes, com a Chapecoense vencendo a final de 1977 e o Avaí vencendo a decisão de 2009.

A Chapecoense vive um momento de reconstrução após o trágico acidente aéreo ocorrido no final do ano passado, quando a equipe se encaminhava para a decisão da Copa Sulamericana. Após um inicio não muito animador no primeiro turno, a Chapecoense “encontrou-se” no campeonato e vem em um ótimo momento na competição. Por outro lado, o Avaí faz o caminho inverso. Após um primeiro turno com a conquista invicta, o Avaí fez um irregular segundo turno, inclusive perdendo a vantagem na decisão, após a bela campanha da Chapecoense no returno.

No primeiro jogo da final de 2009, uma avassaladora vitória do verdão do oeste no Índio Condá. Não pelo placar de 3×1, mas sim pela forma como foi construído o resultado, com um domínio completo da equipe verde e branca de Chapecó. Após o jogo, o clima era de total certeza da conquista da taça pela equipe da Chapecoense, inclusive com alguns jogadores já ‘se considerando’ como campeões estaduais. Diferente de 2009, não há tal demonstração disso por parte dos jogadores do verdão. Mas entre torcedores (até mesmo de outros times) não é muito difícil observar esse clima de “já ganhou” com relação a equipe da Chapecoense.

Para o jogo da volta naquela final de 2009, motivação era o que não faltava para a equipe do Avaí. Com o apoio da torcida, inclusive com vídeos motivacionais, mostrava que sim, era possível reverter o resultado. Em um dos vídeos, um belíssimo texto do advogado, cronista e crítico literário Sérgio da Costa Ramos dava ‘vida’ ao sentimento do torcedor avaiano:

“Torcida é como uma criança, ou como um louco: esquece rápido.
Sua paixão é o hoje, o agora. Para a torcida não há o amanhã, nem o ontem.
Em uma final, a torcida sente ausente o futuro e o passado.
Ah o Avaí, o Avaí merece essa faixa no peito. A torcida sofre e ama seus jogadores.
E é agradecida a eles, pelo orgulho de estar na Série A, de disputar a Copa do Brasil de 2010.
E se tornar o campeão catarinense, como merece e como será.
Eu vi a pose e a soberba do nosso adversário e vi festejarem o título na manhã de segunda feira em Chapecó.
Com carreatas e passeatas. Eu vi atletas, como o Thoni e o Badé distribuindo sorrisos e autógrafos e dando entrevistas como tais, os campeões.
Ah, eles não conhecem a história do Avaí, eles não sabem que o Avaí faz coisas.
Desfraldaram a bandeira do campeonato antecipado e dizem que a Chapecoense é a equipe para a qual o Avaí se rende.
– depois de perderem para nós – disseram, – começaram uma série invicta de 35 partidas em sua casa, para perderem de novo para nós –
Ah, eles não conhecem o Avaí, o Avaí que virou partidas impossíveis no brasileiro da Série B, debaixo d’agua, debaixo de lama.
Sou um torcedor fiel, eu não esqueço do passado, nem do futuro brilhante que nos aguarda.
Os melhores jogadores do campeonato estão aqui. Não precisam provar mais nada e por isso o seu destino é a vitória.
Vamos VENCER, VENCER!!”

Sérgio da Costa Ramos (2009)

E é com esse espirito, respeitando e muito a Chapecoense, que vamos em busca do nosso sonho, de mais uma conquista na rica história do Avaí Futebol Clube. E que assim como em 2009, possamos provar, que sim é possível reverter o favoritismo do verdão do oeste.

 

Comenta aí:
Compartilhe ;DShare on Facebook3Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Buffer this page