E a Temporada 18/19 da Fórmula E teve de um tudo: emoção, punições, ultrapassagens e até chuva em pleno deserto da Arabia Saudita. Ao final dos 45 minutos regulamentares (e uma volta), António Felix da Costa, da BMW/Andretti, venceu a prova.

Chuva no deserto? Sim!

A Classificação foi atrapalhada pelo inusitado: choveu em Al-Diriya e cancelou o primeiro treino. Mesmo assim, os blocos foram à pista e Félix da Costa conseguiu marcar o primeiro tempo. Chamou a atenção o bom resultado de José Maria “Pechito” López (Dragon) em terceiro lugar e Stoffel Vandoorne em quinto com a também novata HWA.

Após os treinos, algumas punições foram dadas pois alguns carros não observaram a potência estipulada pela organização por conta das condições de pista. Tom Dillmann, da NIO, marcou o segundo tempo, mas teve sua volta desconsiderada e foi para último. O mesmo acontecendo com seu companheiro Oliver Turvey e a dupla da Envision Virgin, Sam Bird e Robin Frinjs.

Com isso, López foi alçado para a segunda posição. Lucas de Grassi foi um dos que foram punidos pela questão do uso de potência e saiu da 11ª para a 18ª posição. Dos brasileiros, o melhor no grid acabou sendo Felipe Massa, que largou em 13º. Nelson Piquet Jr. ficou em 15º com a Jaguar.

A Corrida

Muita gente prendeu a respiração quando viu a primeira fila formada por Félix da Costa e “Pechito” López. Mas para alegria (e tristeza de alguns), o português tomou a dianteira na chegada da primeira curva.

Logo apareceu a dupla que ajudou a garantir a movimentação da corrida: André Lotterer e Jean-Eric Vergne. O carro da Techeetah se mostrou extremamente rápido e os dois vieram escalando o pelotão. Enquanto Félix da Costa ia se consolidando na liderança, o ataque era constante e logo chegaram na segunda e terceira posições.

Os primeiros a inaugurar o “Attack Mode” foram o duo da NIO, Tom Dillmann e Oliver Turvey. Entretanto, sem sucesso. Felipe Massa vinha em uma escalada interessante na prova, chegando a alcançar a 8ª posição.

Punições mudam a prova

Na frente, Vergne conseguia ultrapassar Félix da Costa e assumia a liderança. Entretanto, vários carros levaram um drive-through por não obedecer aos níveis de regeneração de bateria previstos em regulamento (tal fato só foi esclarecido pela Direção de Prova posteriormente). Entre eles, estavam Massa e os dois pilotos da Techeetah.

Com a punição, Félix da Costa voltou a assumir o primeiro posto. Mais atrás, uma briga ferrenha entre Audi (Abt e Di Grassi), Mahindra (D’Ambrosio) e eDams/Nissan (Buemi e Rowlands) se desenrolava.

No trecho final, “Pechito” López, que havia despencado na classificação, bateu e trouxe uma bandeira amarela. Aí, foi a chance para que Vergne e Lotterer subissem o escalão. E boa parte daqueles que ainda não haviam usado o “Attack Mode” (2 por prova) usarem da artimanha.

O final da prova acabou sendo bem animado, com Vergne chegando nos calcanhares de Félix da Costa, que garantiu sua primeira vitória na categoria, bem como da BMW, agora oficialmente estabelecida. Jerome D’Ambrosio chegou em terceiro, garantindo o lugar final do pódio.

Ainda tivemos a briga entre Di Grassi e Nelson Piquet Jr pela 9ª posição, que culminou em “chega pra lá” do brasileiro da Audi e uma batida pós-prova. Mais um capítulo para inimizade entre os dois…Felipe Massa ainda levou uma punição pós-corrida por uso irregular do FanBoost e ficou em 14º lugar. Mesmo assim, sua prova foi extremamente correta.

Resultado da prova e Classificação do campeonato

(fonte: fiaformulae.com)

Quem viu, gostou. Tudo era novidade nesta primeira prova e a impressão foi ótima. Agora, as atenções estão voltadas para a segunda etapa, que acontecerá em Marrakech, no Marrocos, dia 12 de janeiro. E acompanharemos!

(fonte: instagram BMW Motorsport)
Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here