Uns gostaram. Outros, detestam. “Este é o futuro!”, “Não tem barulho! Parece motor de dentista!”. Quem acompanha os fóruns de automobilismo já viu este tipo de divisão entre o público. O fato é que a Fórmula-E tornou-se uma realidade no cenário e a cada temporada vem tomando espaço.

Por este motivo, o 90Goals, sempre em cima do lance, decidiu acompanhar esta categoria, que terá sua 5ª temporada iniciando no próximo sábado, dia 15, em Al-Diriya, na Arábia Saudita (Transmissão da Fox Sports). Eis aqui um guia rápido do que teremos e nos próximos dias, detalharemos mais.

História

A Fórmula-E nasceu do desejo da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) de promover uma categoria para desenvolver a mobilidade sustentável em um mundo cada vez mais preocupado com a poluição do ar nos grandes centros.

Em 2011, Jean Todt, Presidente da FIA, e Alejandro Agag, empresário espanhol com forte envolvimento no automobilismo, desenvolveram o conceito de uma competição de monopostos totalmente elétricos. Com o aumento de interesse nos carros movidos à eletricidade, por que não promover? Afinal, as corridas sempre foram um dos melhores campos de prova para o desenvolvimento de novas tecnologias.

A partir daí, pesos pesados da indústria da competição começaram a se envolver: Williams, Renault, Michelin…e a Formula-E começou a tomar corpo. Algumas premissas foram definidas: as corridas seriam no intervalo dos principais campeonatos da FIA, preferencialmente em circuitos de rua e teriam carros monomarca.

Os chassis foram fabricados pela Spark (empresa comandada por Nicolas Todt e Frederic Vasseur, atual chefe de equipe Sauber) e as baterias foram desenvolvidas e fornecidas pela divisão de engenharia da equipe Williams de Fórmula 1.

Com muitas incertezas, a primeira corrida aconteceu em 2014. Em uma primeira análise, muita gente torceu o nariz pois o grid era basicamente formado por ex-pilotos de Fórmula 1, como Nick Heidfeld, Jean Eric Vergne, Lucas Di Grassi, Jacques Villeneuve

Largada da primeira prova da Formula-E – Pequim 2014 (fonte:engadget.com)

Mesmo com várias dúvidas, uma quase falência e um início cauteloso, a categoria “pegou no breu”. A Fórmula-E vai para a sua 5ª temporada e com 4 campeões diferentes, sendo 2 brasileiros (Nelson Piquet Junior e Lucas di Grassi).

O carro

Nesta temporada, a Fórmula E conta com um carro novo, o Gen2, apelidado de Batmóvel por alguns.

Eis o Gen 2 (fonte: fia.com)

Este carro incorpora o indefectível halo e conta com mais potência que seu antecessor. A estimativa é que chegue a uma velocidade máxima de 280 km/h. Além disso, as baterias contam com uma autonomia maior, o que permite não realizar a troca de carro que acontecia até a temporada passada.

A corrida

A Fórmula-E tem uma dinâmica mais rápida do que outras categorias. Treinos de classificação e corrida acontecem no mesmo dia (existe um teste rápido de aclimatação nas sextas). Outro aspecto é a realização das provas em circuitos de rua. Além da questão ecológica, tal recurso permite que os freios sejam utilizados mais vezes, recompondo a capacidade das baterias.

Os treinos são compostos pela divisão dos pilotos em grupos, de acordo com a classificação do campeonato. Os seis mais rápidos vão para a SuperPole, onde cada um tem 6 minutos para buscar seu melhor tempo.

Até o ano passado, a corrida tinha a duração de minutos, sendo que havia a troca obrigatória de carros, pois a carga da bateria não era suficiente para a corrida toda. Para este ano, a troca foi abolida e a prova terá a duração de 45 minutos +1 volta.

Para as provas, os pilotos contam com o fan boost, que é dado de acordo com a escolha do público (somente os mais votados tem direito a usar uma vez durante a corrida). Para esta temporada, teremos o modo de ataque (“Attack Mode”), onde o piloto passará por uma zona especial de ativação. Passando por esta área, o piloto poderá usar cerca de 25 kW de potencia extra.

Calendário

  • 15/12 – Al Diriyah (Arabia Saudita)
  • 12/01 – Marrakesh (Marrocos)
  • 26/01 – Santiago (Chile)
  • 16/02 – Cidade do México (México)
  • 10/03 – Hong Kong (China)
  • 23/03 – Sanya (China)
  • 13/04 – Roma (Italia)
  • 27/04 – Paris (França)
  • 11/05 – Monaco
  • 25/05 – Berlim (Alemanha)
  • 22/06 – Berna (Suiça)
  • 13 e 14/07 – Nova Iorque (Estados Unidos)

Esta é a primeira fase, a seguir, falaremos de pilotos e equipes para você ficar por dentro de tudo!

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here