Não é nenhum exagero dizer que este não foi uma partida ao nível do que estamos acostumados quando falamos de Brasileirão.

O ritmo que ambas equipes propuseram ao tocar a bola sempre visando o ataque e o dinamismo que os esquemas armados por Renato Portaluppi e Fernando Diniz apresentaram um ótimo jogo aos pouco mais de vinte mil torcedores que compareceram à Arena do Grêmio; partida desse fim de domingo para o jogo da segunda rodada do campeonato.

O PRIMEIRO TEMPO

Nos primeiros 45 minutos de jogo fomos apresentados a duas equipes que, independente do que aconteceu, não abriram mão de ter a posse de bola. Muitas vezes, inclusive, o Atlético-PR recorria ao goleiro Santos para manter o jogo sob seus domínios.

O bombardeio tricolor, que finalizou o jogo com o total de 20 finalizações, começou em logo aos 4 minutos de jogo. Finalização na qual o atacante Luan teve a melhor chance da partida e acabou parando na trave após uma confusão causada por Lucho González ao sofrer pressão na saída de bola.

Luan teve a chance de abrir o placar da partida logo cedo. | FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Luan teve a chance de abrir o placar da partida logo cedo. | FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

No rebote, Ramiro, um dos melhores em campo, acabou chutando para fora e eliminou a chance de aproveitamento do primeiro lance perigoso a favor do Grêmio.

Ao decorrer do primeiro tempo, o tricolor gaúcho ainda criou diversas chances de tirar 0 x 0 do placar; seja com Everton por duas vezes (uma para fora e outra parando em Santos); com Luan por outras três ou através dos pés do capitão Maicon; mais um a esbarrar na qualidade do goleiro prata da casa atleticano.

Do outro lado, vimos um time que, apesar de prezar o toque de bola, esperou os momentos certos para fazer incursões à área defendida por Geromel e Bressan.

Por esse motivo, isso acabou chegando pela primeira vez apenas aos 30 minutos com um chute de Nikão que passou longe da meta defendida por Marcelo Grohe. E foi na segunda investida do Atlético-PR que brilhou mais uma vez a estrela de Pedro Geromel com um desarme na hora certa que evitou o chute de Pablo que poderia encerrar a primeira etapa em desvantagem.

O SEGUNDO TEMPO

Se no primeiro tempo o Grêmio chegou a ficar com 8 jogadores além da linha central do campo. A etapa complementar da partida mostrou que até mesmo os melhores times tem um fator que pode ser determinante para a conquista da vitória, o fôlego.

A primeira vista para evitar cansaços excessivos, decorrente da atual maratona de jogos proporcionada pelo calendário extremamente apertado, Renato optou por sacar o “vovô” Léo Moura e colocou Alisson em campo, passando o versátil Ramiro para a lateral direita.

E foi dos pés de Alisson que saiu o primeiro chute a gol do Grêmio na segunda etapa; além de outras duas oportunidades que não passaram de chances mal-sucedidas contra o goleiro Santos, neste que pode ter sido um dos jogos no qual o atleta mais deixou a desejar.

O Atlético-PR, que também enfrenta uma maratona de jogos pelo Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana. O time aproveitou a baixa do ritmo imposto pelo Grêmio para tentar novas tentativas de perigo ao gol de Marcelo Grohe. Comoçou logo aos 4 minutos em um lance no qual Pablo estava impedido, mas que causaria grandes problemas ao nosso goleiro caso não estivesse (ou ocorresse uma falha da arbitragem).

Pedro Geromel foi um dos melhores em campo pelo Grêmio. | FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Pedro Geromel foi um dos melhores em campo pelo Grêmio. | FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

O segundo tempo pode não ter feito os olhos dos torcedores brilharem, seja pelo cansaço que se abatia gradativamente nos jogadores ou então por lances como o do volante Camacho, que após uma entrada mais forte em Luan acabou recebendo o segundo cartão amarelo e foi, por consequência, expulso do jogo.

Porém, apesar da superioridade numérica, o time do Grêmio não conseguiu aproveitar esse fato para sair com a vitória no primeiro jogo do campeonato em seu estádio.

A melhor chance do Grêmio no segundo tempo foi a quase conclusão com sucesso do atacante André.

Atacante que tem tudo para se confirmar com uma das melhores (senão a melhor) contratações do ano, que estava novamente no lugar certo e na hora certa (assim como o gol marcado na semana passada) porém não teve força suficiente para empurrar a bola para dentro da meta.

A HORA DE VIRAR A CHAVE (MAIS UMA VEZ)

Agora todas as atenções se voltam para o estádio Serra Dourada. Antes de mais nada, começa a jornada da competição que tem o potencial de encher os cofres do clube; além de colocar a sexta taça da Copa do Brasil na Sala de Troféus do tricolor. Enfim, vamos em busca do Hexa!!!

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here