Começando o texto de hoje com um texto diferente. Maior do que o placar de 3×1 contra o time do Borussia Dortmund, foi a grandeza do time do AS Monaco. Após passar pelo time do Fenerbahçe com uma certa certa dificuldade após perder o primeiro jogo, fazer um jogo um pouco melhor contra o time do Villareal, o Monaco chegava a fase de grupos em uma chave que contava com Tottenham e Bayer Leverkusen como favoritos. Chegou como aposta e saiu como realidade.

O time acumulou 11 pontos em 6 partidas e saiu como lider do grupo. Logo nas oitavas, uma pedreira. Pedreira? Não para eles. Com dois jogos emocionantes, despachou o time do Manchester City, chegando a fase atual.

Vamos ao jogo. Logo de cara, o time francês fazia valer o seu mando de campo e sufocava o adversario. Logo aos 3 minutos, já ganhavam o jogo. Aos 3, Mendy fez uma excelente jogada pela esquerda e chutou forte ao gol, Burki bateu roupa e a bola sobrou nos pés do menino de ouro francês Mbappé, que só teve o trabalho de inaugurar o placar do jogo.

E aos 15, a situação que já era favoravel, melhorou ainda mais. Após um erro defensivo do time do Borussia Dortmund, Falcão Garcia, que a cada jogo mostra viver grande forma, recebeu sozinho e de cabeça ampliou para o Monaco.

O jogo seguia morno, com muita disputa mas nem tanto futebol, com ambas as defesas se sobrepondo ao ataque, com o time de Dortmund propondo o jogo por precisar buscar o resultado e o time Monegasco apenas em contra-golpes se fazia presente, seguindo assim até o intevalo.

A parada, assim como no primeiro tempo, fez bem ao time alemão, que logo aos 2 minutos, diminuiu o marcador. Dembelé, a válvula de escape deles, fez uma boa jogada pela direita, deixou Mendy sem pai e nem mãe e fez o cruzamento, que encontrou Marco Reus. O gol tentava dar um animo novo ao Borussia.

E o jogo seguiu alternando no comando da partida. Em alguns momentos, o Borussia buscava uma pressão para tentar voltar ao jogo. Em outros, o time de Monaco tentava propor o jogo, atrás do gol que liquidaria a fatura.

Assim como no primeiro tempo, as defesas de ambos os times se mostravam excelentes. Com isso, pouco se criava em jogadas efetivas, com ambos os times baseando seu jogo na velocidade de seus jogadores. Muita transpiração, pouca inspiração.

Quando o jogo se mostrava morno, o time do Monaco achou o gol que carimbaria a sua classificação para as semifinais a Champions League. Aos 35, logo após entrar no lugar de Falcão Garcia, Germain se aproveitou de um falha defensiva, entrou cara a cara com o goleiro e apenas teve o trabalho de tirar a bola do goleiro para sacramentar a passagem de fase.

Com a classificação garantida, o time apenas esperava o apito final, tendo em vista que o time de Dortmund já tinha entregue a batalha.

Comenta aí:
Compartilhe ;DShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Buffer this page
COMPARTILHAR
avatar
Jornalismo - UFAM. / Vasco. Rio Negro - AM. Liverpool. Raiders. Formula 1. Hornets. / Instagram: GeorgeDantas_ / Twitter: @BlogDoDantas