O ano vai acabando e com ele vai junto à temporada regular da NFL. O New Orleans Saints terminará a mesma com uma ótima campanha, o título da NFC  South e a seed 1 nos playoffs. Dessa forma, não há o que reclamar e/ou temer certo?

Drew Brees com a taça do Super Bowl 52, em 2009.

Errado! Torcedores mais desconfiados como esse que vos escreve, sabem que não podemos cantar muita vitoria com esse time, vide o milagre de Minnesota, na temporada anterior.

Os Saints apresentaram grande futebol durante a temporada regular, isso é fato. No entanto vamos levar algumas desconfianças a pós temporada. Juntamente, é isso que vou abordar nesse texto.

Os Saints que eu não quero

Inicialmente vamos tirar o foco dos placares e admitamos, os Saints tiveram uma queda no desempenho ofensivo no final da temporada regular. Bem como, isso se deve ao entendimento dos coordenadores defensivos sobre o funcionamento do ataque de New Orleans.

Isso a partir do momento no qual a defesa adversária consegue frear o jogo terrestre com Kamara e Ingram. Juntamente a isso quando anulam Micheal Thomas, o quanto seja possível a vida de Drew Brees fica bem difícil.

Alguns poderão afirmar que Brees também não vem apresentando seu melhor jogo. Seguidamente, que o líder do ataque pouco vem olhando para as outras peças do setor. É um argumento interessante, não podemos descartar-lo.

Mas até que ponto a culpa é de Brees e não da falta de talento dos outros recebedores em conseguir separação ou se posicionar corretamente? Não esqueçamos que a coordenação dos Saints tentou reforçar o ataque com o experiente Dez Bryant, que infelizmente se machucou antes de entrar em campo. O que evidencia a falta de bons receivers depois de Thomas.

Todavia não se enganem. Seguidamente não estou tentando colocar a culpa no elenco da equipe que vinha estando bem até aqui. Ainda mais tenho a opinião que a coordenação, liderada por Sean Payton, é que devem procurar uma saída técnica para as ações defensivas adversárias.

Afinal, como um bom jogo de xadrez, ou a mais teórica das batalhas, o futebol americano é um jogo de estratégia. A partir do momento no qual o adversário usa de uma contra ofensiva, você deve criar uma estratégia diferente para vencê-lo. Os Saints precisam de aprimoramento.

Os Saints que eu quero

Assim como na vida, momentos ruins servem também para nos fazer enxergar fatos interessantes e tirar o melhor deles. Ainda mais, pudemos ver nos últimos jogos, boas atuações da defesa. E só Deus sabe como isso é raro em New Orleans.

Contra Steelers e Panthers, o setor defensivo foi fundamental para os Saints conseguirem a vitória. A franquia é uma das vinte melhores sackando o QB, e a melhor contra o jogo terrestre.

Definitivamente o setor defensivo de New Orleans, deixa os torcedores esperançosos em relação aos playoffs. Juntamente se o ataque apresentar pelo menos performances objetivas, conseguindo pontuar quando necessário, sem cometer o pecado de desperdiçar turnovers a franquia poderá chegar longe.

Por fim, o fator casa será importantíssimo para os Saints. Bem como o time tem tudo para se contagiar com a energia vinda da torcida, lembrando-os do indizível: o superbowl é possível.

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here