De todos os cenários possíveis para o GP da Russia, um dos mais improváveis aconteceu: O carro 77, pilotado pelo finlandês Valterri Bottas, foi o primeiro a ver a quadriculada. Falo na falta de probabilidade baseado no que o final de semana passou para quem o acompanhou.

Ou seja, um amplo domínio ferrarista, alternados em Kimi e Vettel. Partindo da pole, esperava-se mais uma vitoria do piloto alemão.

Porém, Bottas logo de cara mostrou que não estava para brincadeira e logo na largada, partindo de uma maneira ofensiva contra os carros do cavalinho e logo assumiu a liderança da corrida, já na primeira curva.

No fundo do grid, uma confusão entre Romain Grosjean (que ainda não se encontrou na temporada) e Jolyon Palmer, que não teve como se defender da barbeiragem do francês, algo que era comum em 2014.

Logo na volta 5, mais um abandono. Ricciardo, que também vem em um ano tumultuado, muito em parte pela incapacidade da Red Bull de lhe dar um carro a sua altura, teve um problema de freio e teve que abandonar. Era a chance de Felipe Massa alcançar o possível sexto lugar.

A corrida, no que se seguiu, caiu em um marasmo, com os carros bem distantes uns dos outros, chegando a dar sono em quem a acompanhava.

Nesse momento, surgiu a estrategia dos boxes. O líder Valtteri parou na volta 28. Raikkonen parou na volta 30. Na volta 31, foi a vez de Hamilton, em corrida discretíssima. Faltava Sebastian. A equipe de estrategia da Ferrari entrou em ação. Vettel parou apenas na volta 35, quando tinha 19.9s de diferença para Bottas, algo relevante porém não o faria voltar a frente.

Ele, após a parada, se encontrava a 4.6s de diferença, porém com pneus 7 voltas mais novos. Em teoria, era hora de voar. E a situação ficou ainda mais favorável após o carro 77 travar os pneus, o que facilitou a aproximação do alemão, que viu a distancia cair para 2.2s, com a corrida se aproximando do final.

Lembram de Massa? Ele seguia tranquilo, com suas pretensões dando certo e caminhando tranquilamente para a sexta posição, até que um furo no pneu o mandou para os boxes e para a nona posição.

Quando precisava ser frio, Bottas foi. A ponto de mandar sua equipe calar a boca no radio, pedindo para o deixarem quieto. A Ferrari seguia motivando Vettel, a ponto de seu engenheiro dizer: “Continue pressionando. Ele vai errar”.

Quando a ultima volta foi aberta, a diferença estava em menos de 1s e Seb vinha babando, perseguindo mais uma vitoria. Nesse momento, Bo77as tirou um coelho da cartola. Ao chegar na reta de largada, ultrapassou Massa em um ponto que Vettel não teria tempo de realizar a manobra e colocou um carro entre eles, partindo para a vitoria, a primeira de sua carreira.

A Vettel, restava reclamar. A ponto de mostrar o dedo médio para Felipe, que respondeu dizendo: ”Mas logo ele, que nunca reclama?”

A se destacar também a lamentável McLaren, que dessa vez deixou Alonso na mão antes mesmo da largada. Até onde vai a paciência do espanhol? Outro ponto foi Stroll, que mais uma vez rodou sozinho e mostrou estar verde para a categoria. é, Williams…

TEMOS UM CAMPEONATO!!

Comenta aí:
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Buffer this page