Em 123 anos o Flamengo viveu a maior tragédia da sua história, o dia 8 de Fevereiro de 2019, ficou marcado por um acidente fatal que levou a morte de 10 pessoas.
Um incêndio que ocorreu 10 vítimas das categorias de base do Flamengo, todas as vítimas eram atletas entre 14 a 16 anos.

As investigações continuam e o atleta Felipe Cardoso afirmou que o fogo começou no ar condicionado do quarto dele.
As labaredas tomaram forma em menos de 10 minutos, tempo do Segurança Ferreira salvar alguns atletas. O Flamengo aloja cerca de 60 atletas porém o previsto eram de 27 atletas passarem a noite no ninho do Urubu mas um voltou para casa e de 26, 16 saíram com vidas 3 deles foram levados para hospitais e 10 não sobreviveram. O que se sabe é que os contêineres são do mesmo material da UPA e UPP e não são irregulares, porém não existia saída de emergência, somente janela.

Segundo informações do Tenente-Coronel do corpo de bombeiro, Douglas Henault, o corpo de bombeiro foi acionado 05H14 e chegou às 05H38 no ninho do Urubu, as 06H20 o incêndio foi controlado pelos bombeiros.

O Flamengo possui o certificado de formação exigido pela CBF que é renovado a cada dois anos, a prefeitura informou que a licença do ninho do Urubu é válida até 8 de março de 2019, porém a área atingida pelo incêndio está descrita como estacionamento e não possui um pedido de licenciamento da área para uso de dormitório.
O certificado de aprovação do Corpo de bombeiros não foi apresentado e o Flamengo sofreu 30 autos de infração por funcionar sem alvará e possui um edital de interdição em 20/10/17.
O especialista em incêndio, Wesley Pinheiro afirmou que incêndio não começa grande, não houve contrapartida de ninguém, não tinha alarme, não possuía detector de fumaça e nem brigada de incêndio no ninho do Urubu, se existisse algum recurso a tragedia seria evitada ou seria menor.

Total irresponsabilidade do clube, e como se nada acontecesse o Flamengo fez algo surreal programou o treino para o dia seguinte do acidente, Jogadores e outros clubes de luto, o ambiente sem clima e pesado e o clube programando treino, mesmo que leve na academia. “A Comissão técnica diz que o principal motivo foi para reunir e conversar com os atletas” e por respeito às vítimas ninguém foi a campo.

O Clube não cruzou os braços para as famílias das vítimas e providenciou passagens aéreas, hospedagens em hotéis, e disponibilidade de levar os corpos para aonde for necessário, Além de seguro de vida e auxílio funeral previsto em contrato.
E meio a tantas notícias e mais de 24 horas de turbulência, o Presidente Rodolfo Landim, não deu entrevista mas se pronunciou no CT.


”Eu queria começar pedindo desculpas a vocês aqui, sei que há algum tempo, mas estava envolvido em uma série de ações emergenciais e distribuição de tarefas importantes nesse momento. Só agora consegui me desvencilhar disso.

Queria dizer para vocês que estamos todos consternados. Essa é certamente a maior tragédia pela qual esse clube já passou nos últimos 123 anos com as vidas dessas 10 pessoas.

O mais importantes agora é a gente se dedicar a tentar minimizar o sofrimento e a dor dessas famílias que certamente estão sofrendo muito e fiquem certos que o Flamengo está cuidando disso e não vai poupar esforços para que isso seja minimizado ao máximo.
Estamos colaborando com as autoridades para que a causa desse acidente, desse incêndio possa ser apurada. Ninguém mais do que nós tem interesse em que isso ocorra. Por fim, dizer que todos nós aqui do clube estamos sentindo uma tristeza enorme. É o que posso falar. Obrigado a todos e peço desculpas” – Rodolfo Landim

Comenta aí:

1 COMENTÁRIO

  1. É triste ter que ler essa matéria e saber que algo poderia ter sido feito preventivamente, um clube renomado deixar de cumprir requisitos básicos de segurança, e nada que seja feito amenizará a dor das famílias, com tudo, que Deus conforte os seus corações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here