Eram 23 anos sem ganhar título, motivos de chacota por seus rivais e ainda para piorar seus rivais eram verdadeiras máquinas de títulos, mas algo foi na contramão de tudo a torcida crescia de forma gigantesca, mas aquilo contrariava tudo de normal para o futebol talvez isso MOSTRE COMO É O CORINTHIANS. 

O ano era 1977, Corinthians com um time bom tentava apagar o fracasso de perder a final do Brasileiro de 76 para o Inter e do outro lado uma Ponte Preta que tinha jogadores de seleção mas não tinham ganhando nada de título, Uma final com 3 jogos no templo do futebol paulista da época (Morumbi), Mas as decisões da federação não agradou ninguém, Ponte Preta queria jogar no Moisés Lucarelli já Vicente Matheus (Presidente do Corinthians) não aceitava que a Ponte seria mandante em 2 jogos sendo que o Corinthians fez a melhor campanha (No fundo todos sabemos que o Presidente queria ser mandante para ficar com o melhor vestiário do estádio). 

Primeiro jogo:

Um jogo difícil, truncado e com um gol de rosto (Não tinha jeito mais Corinthians de se fazer um gol) Palinha fez o único gol do jogo. 

Segundo jogo:

Era mando do Corinthians, quase 150 mil pessoas no estádio, o time tinha a vantagem, ali era o momento de acabar com todo azar que beirava o clube, O Corinthians abre o placar MEU DEUS ERA O FIM DE UMA AGONIA, mas a toma a virada perdendo por 2a1 com gols de Dicá e Rui Rei para a PonteBasilio para o clube do Parque São Jorge. 

Terceiro jogo:

Será que de fato os deuses do futebol iram fazer o Corinthians agonizar por mais 1 ano, desta vez não, aos 38 do 2º tempo os deuses escreviam em 7 segundos talvez o título mais importante da história do Corinthians. 

Caso alguém tenha uma curiosidade maior para ver o depoimento dos jogadores assistem o filme “23 anos em 7 segundos” que os jogadores contam como foi a saga e como era o momento do clube no cenário paulista e nacional. 

 

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here