À medida que o Omigron se espalha, o Brasil registra infecções diárias pelo governo-19

Em 8 de abril de 2021, um agente de saúde mostra uma seringa a uma mulher após aplicar a dosagem da vacina sinovial coronavírus corona vírus (Govit-19) no Casic de Ramos, um dos espaços carnavalescos mais tradicionais do Rio de Janeiro, Brasil. REUTERS/Ricardo Moraes

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

BRASÍLIA, 18 Jan (Reuters) – O Ministério da Saúde do Brasil registrou nesta terça-feira 137.103 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas devido à disseminação da variante Omigron no país sul-americano.

O número de mortos também subiu para 351 na terça-feira, o maior desde meados de novembro.

Como o Omicron se tornou a variante dominante no país, o número de novos casos subiu para 115.228 em 23 de junho do ano passado, em relação ao recorde diário anterior de 115.228.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

O Brasil já registrou 23.211.894 casos desde o início do surto em 2020, enquanto o número oficial de mortos subiu para 621.517, segundo dados do ministério.

Segundo estimativas da Reuters, o Brasil tem o terceiro maior número de mortes por COVID-19 no mundo, depois dos Estados Unidos e da Rússia.

A disseminação do Omigran voltou a encher os hospitais, levando os executivos a fornecer mais leitos e mobilizar mais equipes médicas, embora essa variante pareça menos perigosa do que antes.

Quase 70% dos brasileiros foram totalmente vacinados, e o Brasil começou a vacinar crianças de 5 a 11 anos nesta semana, apesar da oposição do presidente suspeito da vacina, Jair Bolzano.

Relatório de Anthony Bodil; Edição por Leslie Adler

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to top