A OMS diz que pessoas não vacinadas ‘morrem desnecessariamente’ de COVID-19

Maria Van Kerkhove, Chefe da Unidade de Emergentes e Zoonoses da Organização Mundial da Saúde, fala durante uma coletiva de imprensa após a reunião do comitê de emergência sobre o novo coronavírus em Genebra, em 22 de janeiro de 2020.

Pierre Elboy | AFP | Getty Images

Pessoas não vacinadas estão “morrendo desnecessariamente” com o vírus COVID-19, disseram autoridades da Organização Mundial da Saúde na terça-feira, citando a desigualdade nas vacinas globais como um dos principais obstáculos para imunizar mais pessoas contra o vírus.

Em um diálogo de perguntas e respostas ao vivo transmitido pelos canais de mídia social da organização, as autoridades disseram que 56 países não cumpriram a meta da Organização Mundial da Saúde de imunizar 10% de sua população contra o vírus até o final de setembro. Maria Van Kerkhove, líder técnica da OMS para Covid-19, disse que o aumento do acesso às vacinas ajudaria a reduzir as mortes e hospitalizações de Covid, já que o mundo se aproxima de 5 milhões de mortes por coronavírus.

“Não atingir esse objetivo é doloroso, é mais do que doloroso, é mais do que frustrante”, disse ela. “Está além das palavras, devo dizer, porque se usássemos as mais de 6 bilhões de vacinas administradas de forma diferente hoje, estaríamos em uma situação muito, muito diferente agora.

Ela disse que os dados sobre as vacinas da Covid mostram muito claramente que elas são seguras e eficazes na prevenção de hospitalização e morte.

“Eles só precisam ser acessíveis a mais pessoas”, disse ela. “Como resultado, as pessoas estão morrendo desnecessariamente.”

Os comentários de Van Kerkhove ecoam comentários Oficiais de saúde dos EUA que disse que quase todas as mortes de Covid registradas em todo o país ocorreram entre pacientes não vacinados. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças relataram 10 de setembro Pessoas não vacinadas têm 11 vezes mais probabilidade de morrer de Covid, 10 vezes mais probabilidade de procurar tratamento hospitalar para seus sintomas e cerca de 4,5 vezes mais probabilidade de contrair o vírus em geral.

READ  HSBC vende a maior parte de seus negócios de banco de varejo nos Estados Unidos

Mas com as vacinações suspensas em países pobres e hospitais que lutam para acompanhar a variante delta mais transmissível, Van Kerkhove disse que as vacinas devem ser priorizadas para os mais vulneráveis ​​e pediu o uso contínuo de máscaras e distanciamento social para mitigar o surto de Covid-19 .

“Você não pode ter as duas coisas, onde tudo está aberto e todos vivem e fingem que isso acabou enquanto suas unidades de terapia intensiva estão cheias”, disse Van Kerkhove.

Organização Mundial da Saúde Distribuição se opõe de doses reforçadas pela Covid, exortando os países ricos a distribuir seus suprimentos para as nações em desenvolvimento na esperança de vacinar pelo menos 40% de cada país até o final do ano. As disparidades na distribuição são particularmente evidentes na África, onde a organização relatou em 30 de setembro que apenas 15 dos 54 países do continente haviam vacinado 10% ou mais de sua população.

Mais de duas dúzias de países no continente vacinaram totalmente 2% ou menos de sua população, disse a agência, enquanto dois países africanos ainda não receberam nenhuma vacina.

Annaliese Franke

"Analista. Adorável leitor ávido de bacon. Empreendedor. Escritor dedicado. Ninja do vinho premiado. Um leitor sutilmente cativante."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top