Autoridades brasileiras lutam para apoiar moradores de rua devido à falta de frio

O Brasil está passando por um frio intenso com os moradores de rua, e as autoridades, ativistas e líderes religiosos estão fazendo tudo o que podem para controlar o sofrimento nas ruas.

As temperaturas caíram abaixo de zero em algumas partes do sul do Brasil e dezenas de cidades foram atingidas por neve e gelo.

Particularmente preocupante este ano foi a epidemia de COVID-19, que exacerbou a falta de moradia ao punir o mercado de trabalho do Brasil, e o governo federal cortou os gastos com previdência, que era um meio de vida em 2020.

O estado mais populoso do Brasil, São Paulo, doou na quinta-feira 7.500 cobertores e 1.000 sacos de dormir para agências de ajuda aos desabrigados.

O frio causou neve em algumas partes do Brasil esta semana – mostrado em uma estrada um tanto coberta de neve para São Jocvim no Brasil na quinta-feira. (Michael Legnaki / Associated Press)

Autoridades transformaram uma estação do metrô da capital mineira em abrigo para 400 pessoas, onde recebem sopa.

A maior metrópole do país registrou na sexta-feira a temperatura mais baixa em cinco anos, 4,4 C, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia. Esta é a segunda temperatura mais baixa em mais de duas décadas.

O frio é difícil de lidar

Maria Madeleine Tudra, 36, foi uma daquelas que tremeu pelas ruas de São Paulo a noite toda, dormindo em cobertores sob uma lona improvisada.

Dudra, que trabalhava diariamente como empregada doméstica durante o surto, disse que não havia vaga em um abrigo.

Moradores de rua melhoram incêndio em São Paulo na quinta-feira para se aquecerem em uma noite fria. O frio extremo da noite de quarta-feira provocou nevascas no sul do Brasil, onde esse clima é raro. (Marcelo Cello / Associated Press)

“Ontem à noite, o frio estava muito forte, acendemos um isqueiro nas mãos, mas não adiantou. Foi doloroso ontem”, disse ele ao centro da cidade na quinta-feira. “A temperatura não é o único problema. As coisas pioram quando está frio, venta e chove ao mesmo tempo.”

Rev. Julio Lancelotti, um padre católico proeminente, postou uma foto nas redes sociais na quarta-feira de uma dúzia de pessoas deitadas em esteiras no chão de sua igreja.

Eles foram para um abrigo montado pela Prefeitura na quinta-feira.

Os dias frios ainda estão por vir

As baixas temperaturas devem durar até o fim de semana, de acordo com a Agência Meteorológica.

As maiores elevações na região sul do Brasil podem ser vistas com temperaturas caindo para -10ºC.

Um homem acende uma fogueira para se aquecer em São Paulo na noite de quinta-feira. (Marcelo Cello / Associated Press)

Os governos estaduais doaram ginásios. O Estado do Paraná começou a distribuir dezenas de milhares de cobertores e a instalar abrigos temporários. O governo do estado do Rio Grande do Sul, na região sul, estava segurando um cobertor na sexta-feira.

Christian Prague, fundador do grupo de abordagem social sem fins lucrativos que fornece alimentos e cobertores para os sem-teto em São Paulo, estima que o dobro de pessoas estarão nas ruas este ano como resultado da epidemia. Ele começou a recolher cobertores de amigos em 2016, quando quatro pessoas morreram de frio.

“Parece paradoxal que as pessoas em uma cidade tropical como o Brasil estejam morrendo de frio”, disse ele. “Isso mostra como nós, como comunidade, falhamos em nos esforçar para resolver os problemas.”

READ  Dados levantam preocupações com o início da temporada de incêndios florestais no Brasil

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top