Brasil prevê que antenas de celular crescerão 60% até 2029

A Anadel, um regulador brasileiro de telecomunicações, prevê que o número de novas estações rádio-base ou antenas celulares aumentará para 58.486 entre 2021 e 2029.

O projeto faz parte de um extenso estudo divulgado pela agência com foco no leilão do 5G em novembro passado e nos módulos de radiofrequência atualmente utilizados pelas operadoras móveis.

Em dezembro, havia 96.414 antenas licenciadas no país, segundo a Anatel. A associação industrial da Connexis Brasil, que representa as principais operadoras de telecomunicações, chegou a 96.567 no final de fevereiro.

Annadell ressalta que os números de 2021 representam um patamar inferior em relação aos anos anteriores devido à aquisição da Nextlo pela Chloro em 2019.

A Watchdog considera dois monitores 5G pós-leilão, um para o qual os vencedores da licitação compartilharão todas as antenas 5G e o segundo para cada provedor instalar suas próprias antenas.

Com base nessas premissas, a Anadel planeja ter entre 121.800 e 154.900 estações rádio-base para telefonia móvel no Brasil até 2029.

Detentores de espectro chave

De acordo com a análise da Anadell, as operadoras com mais espectro em 2020 e 2021 são a Chloro e a Telefonica Brasil.

Antes do leilão 5G, as bandas de radiofrequência da Chloro eram licenciadas principalmente (uso do espectro principal, basicamente varejo), com uma largura de banda total de 214MHz.

Em termos de espectro em base secundária (por exemplo, para redes atacadistas e privadas), a Telefônica Brasil assumiu a liderança com 220MHz.

Entre os não provedores em todo o país, a Algar Telecom, que opera em Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e algumas partes dos estados de São Paulo, forneceu a maior largura de banda em 90MHz, disse Annadell.

READ  O Voleibol-Brasil venceu a França em cinco sets e terminou em segundo lugar no Grupo B.

Após o leilão de 5G, a Algar atingiu a largura de banda primária de 1.210MHz de largura de banda total, recebendo 1.120MHz no leilão (40MHz na banda de 2,3GHz, 80MHz na banda de 3,5GHz e 16GHz). De acordo com o estudo, a operadora com maior largura de banda.

Todas as bandas compradas durante o leilão são primárias.

Antes do leilão 5G, a banda de 150 MHz e 1,8 GHz era principalmente uma banda de espectro de banda alta oferecida para telefonia móvel.

Com as novas bandas de espectro, a largura de banda altamente credenciada será de 26GHz, oferecendo 2.200MHz às operadoras.

Em termos de secundário, o maior volume da banda de espectro passa a ser a banda de 2,5 GHz, reservada para uso de 130 MHz.

Segundo a Anatel, do total de antenas em operação no país no final do ano passado, 65.971 eram para a faixa de 1,8GHz, seguida pela faixa de 2,5GHz (55.215 antenas) e de 2,1GHz (53.180).

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to top