Em mais um ano de ”copeiro”, o Cruzeiro vem cheio de decisões. A cada obstáculo vamos chegando mais perto de títulos. Em 2018 podemos nos tornar o maior vencedor da Copa do Brasil. E neste mesmo ano conquistar o tri da América, apesar de este caminho ser mais difícil. Mas neste texto vou mostrar como o Cruzeiro chegou até aqui.

Rumo ao Hexa

Foto: Cruzeiro Esporte Clube Instagram

A equipe celeste, deste a volta de Mano Menezes tem sido muito decisiva. Apesar de não ter feito um bom campeonato brasileiro até aqui. Muitas das vezes por uso dos reservas nos jogos. O Cruzeiro se prova o contrário quando o quesito é mata-mata. Mas oque leva a equipe a tal fator ? Bom, um deles é a experiência do elenco, que se mistura com a vontade de jogadores mais jovens. Logo vemos um time bastante mesclado no quesito idade. Jogadores como T. Neves e Robinho, acabam deixando jogadores como Raniel, Sassá, Lucas Silva e etc, mais a vontade em campo. A partir do momento em que chamam a responsabilidade em jogos grandes, assim como o de amanhã.

Mas pensando no confronto do dia 10/10 temos que levar em consideração outros fatores. Decidiremos fora de casa, e isso é algo bom ou ruim ? Podemos ver ambos os lados. O lado bom é que o time celeste tem facilidade de segurar o resultado, já demonstrou isso em outras ocasiões. Com isso, caso consiga um bom resultado no Mineirão (vulgo Toca da Raposa III) pode usufruir da experiência no jogo da volta, em São Paulo. Contudo o lado ruim e que me preocupa é que, geralmente quando temos que dar as rédias em um confronto, falhamos ao obter um resultado positivo. Uma vez que a equipe é fatal em contra-ataques e jogadas com passes rápidos. Com isso o Cruzeiro precisa tomar cuidado, e tentar pegar a vantagem da maneira mais veloz possível neste primeiro confronto. Fato é que temos o necessário para ganhar as decisões que estão por vir.

Rumo ao Tri

Foto: Cruzeiro Esporte Clube Instagram

Somos bons em decisões, mas a que esta por vir não será das mais fáceis. Logo em que o jogo acabou na Argentina, no estádio de La Bombonera. Tive o pressentimento de que passaríamos, no sufoco, mas passaríamos. Neste jogo, não contará somente a técnica, somente a habilidade ou até mesmo a experiência. Contará todos os fatores, a sabedoria, a raça e a vontade. Desde o torcedor que estará presente no Mineirão (assim como eu) desde o jogador que estará no banco de reservas prestes a entrar. Cada gota de suor vai importar, pois podemos chegar mais longe nesta Copa Libertadores.

Assim como citado um pouco mais acima, temos o fator experiência. Que pode contar bastante neste tipo de ocasião, até mesmo para acalmar os jogadores e levar o time ao gol com mais facilidade. Ou até mesmo para buscar o resultado caso venha a tomar um tento dentro de casa. Outro fator positivo, é a torcida que dentre vários jogos vem empurrando a equipe, e amanhã não será diferente. Mas, temos os fatores negativos, como por exemplo, os perigos adversários. Um deles bastante conhecido, Ábila está apto a jogar e pode entrar de titular. Cristian Pavon, jogador convocado para a última copa também deve ser levado em conta. Assim como Carlos Tevez, um veterano conhecido que ainda sabe oque fazer com a bola no pé.

O time do Boca Juniors tem algumas perdas para o jogo desta quinta-feira. O goleiro titular está lesionado e não atuará, oque pode fazer total diferença. Outro fator é que o Boca Juniors vem de uma derrota na Copa da Argentina para um time de pequena expressão. Contudo ainda sim é uma equipe muito perigosa e de grande expressão continental. Temos de ter determinação e vontade, e certamente conseguiremos chegar lá, em mais algumas decisões.

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here