Hamilton fecha o ano com vitória, Alonso aposenta em 11º

- São Paulo, Brasil
4
539

Lewis Hamilton cruzou a linha de chegada em primeiro pela 11ª e última vez em 2018, em Abu Dhabi. O inglês fez uma parada muito antecipada, mas controlou o desgaste dos pneus e conseguiu levar a corrida tranquilamente até o final. Sebastian Vettel  ficou com em segundo lugar, superando o ritmo de Bottas. O vice campeão chegou a tirar diferença para Hamilton na parte final da corrida, mas não o suficiente para tentar algo. Max Verstappen foi quem completou o pódio. O holandês proporcionou algumas boas disputas em uma corrida morna, largou mal, teve problemas no motor, porém se manteve firme na terceira colocação.

Fernando Alonso, em sua corrida de despedida, chegou muito perto de marcar o último ponto da carreira. O espanhol largou em 15º, conseguiu posições com as paradas e cruzou em 11º, não muito distante de Magnussen, em décimo. Ainda assim o bi campeão nos proporcionou mais um momento icônico no rádio, além de um histórico na pista. Hamilton e Vettel escoltaram Alonso até a reta principal e os três fizeram os famosos “zerinhos”. Realmente uma bela maneira de dizer adeus, ou seria um até logo?

Outro que estava de saída (da equipe) era Daniel Ricciardo. Felizmente o australiano não enfrentou problemas mecânicos e chegou em um excelente quarto lugar. Por outro lado, Kimi Raikkonen não teve uma boa corrida de despedida da Ferrari. Ele sofreu de uma pane geral no carro na reta e saiu da mesma forma se tivesse ganho. Curiosamente, outros pilotos que também estavam de saída abandonaram a prova: Gasly, Ocon e Ericsson.

O penta campeão do mundo conquistou 11 das 21 vitórias no ano. Pouco merecido. (Fonte: site oficial F1)

Leclerc voa e Verstappen fica na largada

Hamilton disparou na largada, como de praxe. Bottas segurou as Ferraris, que também não se atreveram a ser agressivas. Entretanto, Verstappen não participou da brincadeira, largou bem, mas teve uma perda de potência repentina e perdeu muitas posições. Já Charles Leclerc, que largou de oitavo, aparecia em quinto, a frente de Ricciardo, quando o Safety Car entrou. Alonso até saiu da pista para evitar toques, mas um bem grave não tardou a acontecer.

Hamilton foi o maior beneficiário da largada, já abrindo muito dos adversários. (Reprodução Twitter)

Hulk se choca com Grosjean e capota o carro

Ainda na primeira volta, Hulkenberg foi tentar algo com Grosjean, tentando ultrapassá-lo em uma freiada de baixa. Porém, o alemão fez a curva como se o francês não estivesse ali, o que resultou em um toque de rodas e catapultou a Renault em direção ao muro. O carro ficou de cabeça para baixo, e logo havia a preocupação com o estado do piloto. No entanto, ele estava falando com a equipe no rádio, só que logicamente apreensivo. Com uma demora até preocupante por parte dos comissários, o carro foi virado, se constatou que não havia fogo, e Nico saiu caminhando normalmente. Felizmente temos o evoluído sistema de segurança da F1 para agradecer. O incidente trouxe um Safety Car para a pista, que ficou até a volta 4. Depois, a direção de prova considerou um acidente de corrida e não puniu ninguém.

Hulkenberg acabou de cabeça para baixo em toque com Grosjean. (Reprodução Twitter)

Raikkonen abandona e Hamilton faz sua estratégia

Com a retomada dos trabalhos, Verstappen foi tentar retomar as posições perdidas. Ultrapassou as duas Force India na curva, mas na reta foi ultrapassado de volta. O problema de potência persistia. Enquanto isso, Leclerc segurava Ricciardo, à medida que ninguém alcançava Hamilton. Até que se viu Leclerc ganhando mais uma posição, ultrapassando Raikkonen.

Não, não era o talento do garoto. Kimi havia parado sua Ferrari na reta principal, com uma luz vermelha piscando. Isso indicava que não havia mais jeito, ele estava de fora de sua última corrida pela Ferrari. Contudo, essa imagem de forma alguma a temporada, que foi uma das melhores do finlandês. Com o abandono, ele corria o risco de perder o 3º lugar no campeonato para Bottas ou Verstappen, o que não aconteceu. Um VSC foi acionado até a volta de número 8.

Kimi encosta sua já clássica Ferrari número 7. (Reprodução Twitter)

Hamilton e Leclerc aproveitaram o VSC e se dirigiram aos boxes. Bottas, Vettel e Ricciardo permaneceram na pista. Com isso, a Mercedes apostava em uma estratégia segura de vitória, caso o penta campeão conseguisse manter os pneus em ordem com apenas uma parada. E ele conseguiu, sem antes deixar de reclamar mas conseguiu.

Algumas disputas e outras paradas

Na volta 9, Hamilton partiu para cima de Verstappen, chegou a ultrapassá-lo pelo quarto lugar, mas logo perdeu a posição. Boa briga, porém Hamilton pareceu ter desistido, achando melhor poupar os pneus e esperar a parada do rival. Nesse meio tempo, Vettel mantinha a diferença para Bottas na casa do 1,5 s, mas o finlandês estava mais lento, segurando o ritmo do ferrarista.

Tudo permaneceu da forma que estava até a volta 16, quando Vettel fez sua parada. Logo ele foi acompanhado por Bottas na 17 e Verstappen na 18. Todos colocaram os supermacios, como recomendado pela Pirelli. Com isso, Ricciardo tomava a liderança. Havia suspeita de chuva no deserto de Abu Dhabi. Ela chegou a cair em alguns pontos mas não influenciou a prova no geral.

Na volta 26, Ericcson abandonou com problemas de potência, levando o carro aos boxes. Na mesma volta, o estreante Leclerc, que era o décimo, emblematicamente passou o veterano Alonso, em nono. Alonso não demorou para parar, na volta 28, caindo para último. E lá na frente, Ricciardo alongava sua parada o quanto podia, mas já via os adversários se aproximando. O pelotão médio, como sempre, proporcionou algumas boas brigas, como uma que envolveu Vandoorne, Grosjean e Ocon.

Mclaren, Hass e Force India lado a lado na briga. (Reprodução Twitter)

Últimas tentativas do ano

Na volta 34, Ricciardo finalmente parou, também optando pelos resistentes super macios. Ele voltava em quinto, atrás dos rivais que já haviam parado. Na volta seguinte, Vettel atacou Bottas, que vinha sofrendo muito com os pneus. Logo atrás dele, vinham as Red Bulls, também com um ritmo mais forte.

Nas voltas seguintes: um momento bastante educativo. Duas ultrapassagens clássicas de rivais diretos: Verstappen e Ricciardo. Na 38, Max jogou todo o carro para cima de Bottas, dando um “chega pra lá” no finlandês, conquistando a ultrapassagem agressivamente até demais. Na 39, Daniel, que vinha se aproximando com a disputa, parecia ter negociado a posição com Bottas muito antes. A ultrapassagem já estava toda calculada e praticamente pronta no momento da freiada, Ricciardo passando como um cavalheiro. Estilos opostos, e tomara que ainda possamos ver muitas disputas por parte de ambos no futuro.

Verstappen parte com tudo para cima de Bottas (Reprodução Twitter)

E com isso tudo, Hamilton curtia a liderança tranquilamente. Porém, Vettel, mesmo encontrando muitos retardatários, resolveu tentar alcançar o rival. Na 41, o cambaleante Bottas se dirigiu aos boxes. Além do mal desempenho, a Mercedes queria checar se os resultados do toque com Verstappen. Na 47, Ocon parou o carro na entrada dos boxes, abandonando sua última corrida com a Force India. Na mesma volta, o colega de geração Gasly tinha muita fumaça saindo do carro, e também teve que encostar.

A Toro Rosso de Gasly momentos antes do abandono. (Reprodução Twitter)

Última despedida

Vettel, mesmo baixando a diferença para a casa dos quatro segundos, não conseguiu chegar em Hamilton. E na bandeirada, o inglês levou mais uma. Enquanto isso, o pobre engenheiro de Alonso tentava animá-lo para tentar chegar em Magnussen e conquistar o último ponto de honra da carreira. Ao que ele respondeu “Eu já tenho 1800 pontos”.

Na volta de desaceleração Alonso foi celebrado por Vettel e Hamilton, um gesto simbólico de respeito e o fim de uma era. Os dois maiores nomes da categoria atual se despedem de um de seus maiores nomes na história. Todos os seus problemas já foram analisados e denunciados infinitamente, mas hoje a F1 tomou a liberdade de celebrá-lo.

Os três pilotos de maior sucesso da F1 atual fecham a temporada de 2018 com comemoração. (Reprodução Twitter)

E chega ao fim mais uma temporada da Fórmula 1. Lewis Hamilton é o campeão definitivo com 408 pontos, o primeiro a alcançar a quarta centena de pontos. Além disso, a marca impressionante de ter vencido 50 das 100 corridas da atual era híbrida também é dele. Nico Hulkenberg, mesmo com o abandono, se sagrou campeão da disputadíssima Fórmula B. Com o resultado dessa corrida, Verstappen terminou o ano em 4º no campeonato, garantindo o 3º lugar para Raikkonen e o 5º para Bottas. Inegavelmente, foi uma temporada muito boa. Portanto, agradecemos a sua companhia durante o ano e convidamos para uma pós e pré temporada cheia de análises e notícias do mundo da F1. 2019 promete e muito!

Resultado final da prova; (Reprodução Twitter)

Assim termina o campeonato de pilotos de 2018:

Reprodução Twitter

 

Comenta aí:

4 COMENTÁRIOS

  1. I was just seeking this info for some time. After six hours of continuous Googleing, finally I got it in your site. I wonder what’s the lack of Google strategy that don’t rank this type of informative websites in top of the list. Generally the top websites are full of garbage.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here