Homecoming: região separatista da Geórgia vota para se juntar à Rússia | notícias da guerra entre a rússia e a ucrânia

O autodeclarado chefe da região separatista diz que a Ossétia do Sul realizará um referendo para fazer parte da Rússia em julho.

O líder da região separatista da Ossétia do Sul, na Geórgia, definiu 17 de julho como a data para um referendo sobre a adesão à Rússia.

“Anatoly Bibilov assinou um decreto sobre a realização de um referendo na República da Ossétia do Sul”, disse seu gabinete em comunicado, citando a “aspiração histórica” ​​de seu povo de se juntar à Rússia.

A Ossétia do Sul estava no centro da guerra russo-georgiana de 2008, juntamente com outra região separatista, a Abkhazia.

Após a guerra, a Rússia e alguns outros países reconheceram a Ossétia do Sul como um país independente, mas a maior parte do mundo ainda a considera parte da Geórgia.

“Conseguimos!” O líder da Ossétia do Sul, Anatoly Bibilov, escreveu no Telegram na sexta-feira, anunciando que havia assinado um decreto marcando a data do referendo para 17 de julho.

“Legalmente, cumprimos outra exigência legal importante. Em linguagem comum, demos um passo que mudou nossas vidas – estamos indo para casa, vamos para a Rússia. Chegou a hora de nos unirmos de uma vez por todas. Ossétia do Sul e Rússia estaremos juntos. Este é o início de uma grande nova história”.

Bibilov perdeu sua candidatura à reeleição no início deste mês. A Rússia expressou a esperança de que o próximo líder, Alan Gaglov, mantenha a “continuidade” das relações com Moscou.

O anúncio veio no 79º dia da invasão russa da Ucrânia, na qual milhares foram mortos e mais de seis milhões de pessoas fugiram do país pró-ocidental.

Enquete ‘inaceitável’

As regiões separatistas da Ucrânia de Donetsk e Luhansk também manifestaram interesse em se juntar à Rússia. O ataque total à Ucrânia provocou uma onda de solidariedade na Geórgia.

READ  Os casos de Melbourne atingiram um recorde de epidemia, mesmo com o bloqueio se aproximando de dois meses

A Geórgia já havia denunciado os planos da Ossétia do Sul de realizar um referendo sobre a adesão à Rússia como “inaceitáveis”.

Em agosto de 2008, a Rússia lançou um ataque à Geórgia, que lutava contra combatentes pró-Rússia na Ossétia do Sul, depois que eles bombardearam aldeias georgianas.

A luta terminou cinco dias depois com um cessar-fogo mediado pela União Europeia, mas matou mais de 700 pessoas e deslocou dezenas de milhares de georgianos.

O referendo segue o padrão da Crimeia. Depois que a Rússia tomou a península do Mar Negro da Ucrânia em 2014, um referendo sobre a adesão à Rússia foi realizado e 97% teriam votado a favor.

O referendo foi realizado quando a Crimeia estava sob o controle das forças russas e a maioria dos países não reconheceu o resultado. Em seguida, a Rússia anexou a Crimeia.

Menno Lange

"Geek da Internet. Entusiasta da comida. Pensador. Praticante de cerveja. Especialista em bacon. Viciado em música. Viajante."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to top