Ministério da Economia do Brasil está tentando controlar gastos com subsídios a combustíveis, dizem fontes

O ministro da Economia brasileiro, Paulo Guedes, fala na cerimônia de abertura da reunião da OCDE em 21 de junho de 2022 no Palácio do Itamaraty em Brasília, Brasil. REUTERS / Adriano Machado

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

BRASÍLIA, 22 Jun (Reuters) – O Ministério da Economia do Brasil está tentando controlar o preço dos altos subsídios ao gás de cozinha e reduzir o número de novos programas de lavagem de dinheiro para motoristas de caminhão para aliviar o impacto do aumento dos preços dos combustíveis. Ano eleitoral, disseram cinco fontes familiarizadas com o assunto.

O ministério quer que as duas medidas custem entre US$ 4 bilhões e US$ 6 bilhões (US$ 770 milhões – US$ 1,2 bilhão) este ano, segundo duas fontes, que são anônimas porque as discussões são preliminares.

Essas medidas farão parte de uma proposta de emenda à Constituição brasileira, que incluirá propostas já anunciadas pelo governo, como redução de impostos federais sobre combustíveis e compensação aos estados pelos impostos estaduais sobre combustíveis.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Fontes disseram que o Ministério da Economia, que não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, não queria que o custo total do pacote ultrapassasse 50 bilhões de rupias, ignorando efetivamente o limite constitucional de gastos.

Anteriormente, o ministério se opôs à tentativa de ignorar o limite. Mas o presidente Jair Bolsanaro vem pressionando pelo alívio da inflação enquanto empurra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na votação deste ano em outubro.

Ao incluir medidas na emenda constitucional, o governo também procura ignorar a legislação existente que impediria a criação de novos benefícios nos seis meses finais do decreto presidencial.

READ  Brasil Vigilância Mineira: Bloco 8, Grota do Cyrilo, Volta Gronde, caso Appian

Todas as evidências indicam que a forma final de ação ainda não foi definida.

Um deles, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que seriam necessários no máximo 2 bilhões de riais para subsídios adicionais ao gás de cozinha e 4 bilhões de riais para caminhoneiros, muitos dos quais são leais apoiadores de Bolsanaro.

Uma das alternativas previstas no cronograma envolve a concessão de uma bolsa mensal de 600 réis aos caminhoneiros, com um custo total de 3 bilhões de arroz. Outra fonte destacou que se apenas 600 mil caminhoneiros fossem pagos, o benefício de 1.000 arrozais caberia no orçamento, embora o ministério não tenha recomendado o valor.

Após o anúncio na semana passada pela petroleira estatal Petrobras (PETR4.SA) de que estava aumentando os preços da gasolina e do diesel, as medidas ganharam força crescente, provocando protestos gerais no mundo político e empurrando a inflação para 11,7% em 12 meses. .

($ 1 = 5,19 Arroz)

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Marcela Ayers e Bernardo Carrom em Brasília Editado por Matthew Louise

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to top