Nível de jogo no mercado brasileiro de e-commerce – Lições do Bex Bango

Nós nos sentamos com Louis Henrik Didier Jr.CEO de Bex BangoSaiba mais sobre o mercado brasileiro de e-commerce atual e o setor transfronteiriço

Qual é a situação do mercado de e-commerce no Brasil?

Os consumidores brasileiros estão ansiosos para descobrir novas tecnologias e gostariam de informar sobre os últimos trending topics. Às vezes, o mercado local não consegue atender a essas demandas, e os consumidores procuram produtos e serviços em sites internacionais que oferecem transações internacionais. Há muito tempo não era comum que os consumidores brasileiros fossem os principais pontos de atrito para sua integração no Brasil, devido à falta de localização do idioma, à falta de pagamentos locais e aos longos prazos de entrega.

As empresas internacionais de e-commerce estão fazendo muitos esforços para transformar a experiência de compra e pagamento em uma região para e-shoppers, investindo fortemente em logística para reduzir atrasos nas entregas. O AliExpress é uma das histórias de sucesso do Brasil: além da experiência de compra local, conseguiu reduzir significativamente o tempo de entrega ao atender voos semanais para uma empresa chinesa de comércio eletrônico.

O efeito de tais esforços se reflete em seus números. 43º Webshoppers eBit | De acordo com o Niesen & Bexs Banco, o comércio eletrônico transfronteiriço representou 76% das vendas totais até 2020, respondendo por 21% das vendas totais (R$ 110 milhões – aproximadamente US$ 21,8 milhões), o maior de todos os tempos. Porcentagem registrada até o momento. Os tipos mais populares são eletrônicos, moda e acessórios, informática e eletrodomésticos. 2021 mostra expansão sólida para o comércio eletrônico transfronteiriço, com BRL crescendo 15% no primeiro semestre do ano para US$ 9,6 bilhões (aproximadamente US$ 1,9 bilhão).

Como é o comportamento do consumidor? Como os brasileiros se adaptaram ao atual ambiente de compras?

Ano a ano, mais e mais brasileiros estão comprando em sites internacionais. O Ebit | Segundo a Nielsen, 71% dos e-shoppers ativos fazem compras em sites estrangeiros. Isso significa que até 2020, 9,5 milhões de novos usuários fizeram sua primeira transação internacional, representando 52% dos pedidos. A participação do comércio eletrônico brasileiro no setor de varejo quase dobrará até 2020, mas ainda está em 10%, o que mostra que ainda há muito espaço para crescimento e novos players internacionais entrarem no mercado.

Preços, disponibilidade e novos lançamentos têm sido os principais impulsionadores para e-shoppers que procuram produtos em sites de comércio eletrônico estrangeiros até 2020 – e à medida que a concorrência se intensifica é necessário começar a pensar em formas adicionais de atrair grandes brasileiros. Visitantes, como:

  • Localização do site em português – A maioria dos brasileiros não conhece outros idiomas além do seu, por isso é importante mudar o idioma para garantir maiores taxas de conversão;

  • Preços alterados – Os brasileiros estão mais preocupados com taxas inesperadas e maior câmbio entre impostos e moedas, então oferecer um preço final em reais cria uma maior sensação de segurança na realização da transação;

  • Métodos de pagamento locais – Mais de 90% dos brasileiros só tem acesso aos meios de pagamento locais, cartões de débito e crédito, parcelado, Poloto, internet banking e agora Pix (pagamento instantâneo);

  • Transporte fácil – Brasileiros preferem frete grátis, e correm o risco de serem desembarcados quando a carga for de valor considerável e/ou não grátis;

  • Suporte ao cliente – É fundamental fornecer suporte ao cliente (no idioma nativo), principalmente quando se trata de transações contínuas, que atendam às demandas dos compradores e garantam uma boa experiência do usuário.

Por meio desses pontos como parte da estratégia de entrada no mercado de players internacionais, o mercado brasileiro tem maiores chances de sucesso e oferece concorrência com players locais, preços competitivos e todas as inovações que os brasileiros desejam.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas pelos atores locais e internacionais da área atualmente atravessando a fronteira brasileira?

Além dos fatores já mencionados acima em relação ao idioma, preços em moeda local, custos de frete e métodos de pagamento preferidos para brasileiros, existem outras circunstâncias importantes que às vezes precisam ser levadas em consideração em transações internacionais. Barreiras, como:

  • Empresa local – Como parte da expansão nos mercados internacionais, geralmente é necessário criar uma pessoa jurídica no país e avançar em direção ao objetivo; Esse processo pode levar muito tempo para ser concluído e os procedimentos burocráticos podem ser muito complicados, com carga de impostos, contratação das pessoas certas e localização de campi locais adequados;

  • Pagamento – No Brasil, o tempo de liquidação para a maioria dos bancos, adquirentes e PSPs de cartões de crédito e débito pode levar até 45 dias, ou seja, desde que o estabelecimento comercial receba o dinheiro; Para receber a taxa antecipadamente, é necessário pagar uma taxa adicional ao pagador/intermediário;

  • Flutuações da moeda – O Brasil experimentou fortes flutuações reais; As transações internacionais podem se tornar imprevisíveis e incontroláveis;

  • Converter e liquidar todas as suas vendas do Brasil para sua moeda local é fácil com o Bexs – Ao efetuar pagamentos em moeda local no Brasil, você precisa de um parceiro competente e confiável para tornar a transação em sua própria moeda transparente e econômica para garantir que suas margens estejam sob controle.

Quais são as oportunidades disponíveis por ter um parceiro local que saiba como mitigar esses desafios?

A isenção de criação de escritório de advocacia no Brasil é uma das vantagens de ter um parceiro de pagamento local. Além disso, por meio da integração técnica com um parceiro de pagamento, é possível acessar diversos benefícios, entre eles:

  • Conhecimento do comportamento do cliente – Um parceiro local traz insights sobre o mercado e o comportamento do consumidor (que varia muito dependendo da região), experiências avançadas do cliente e taxas de câmbio e dados de pesquisa de mercado inestimáveis;

  • Fornece métodos de pagamento locais – No Brasil, o não pagamento dos meios de pagamento locais resultará na perda de 90% do mercado, pois o público em geral não tem acesso aos cartões internacionais. É necessário se conectar com o provedor de pagamento local para acessar 100% do mercado;

  • Regulamento de conformidade/transferência – As transações internacionais são reguladas pelo banco central e são de responsabilidade do parceiro local cumprir todas as regulamentações locais; O Banco Central do Brasil recentemente alterou as regras para operações de câmbio, e ter a vantagem de ter um parceiro especializado e aprimorar as operações e garantir que elas sigam as orientações dos reguladores é uma vantagem;

  • Pagamentos de plataforma única e FX – Parceiro local que oferece pagamento de site único e forex (FX) traz os benefícios de maior visibilidade e flexibilidade das transações, velocidade de processos e melhores taxas, pois não há necessidade de pagar a terceiros. transações cambiais;

  • Classificação FX on-line para preços – Uma ferramenta de hedge inteligente que pode controlar as taxas de câmbio e ter uma previsão de pagamento simplificada, garantindo que o valor desejado seja pago em moeda estrangeira;

  • Recebimento do valor correto – O parceiro local calculará todas as taxas e possíveis impostos sobre as transações do cliente em moeda local, e o comerciante receberá seu pagamento de acordo com o valor do contrato;

  • Suporte ao cliente – O parceiro local fornecerá suporte aos clientes no idioma local.

O que está por vir no mercado transfronteiriço brasileiro?

Esperamos que os mercados e as transações se tornem mais globais, infinitos. Os brasileiros continuarão aumentando o acesso a produtos internacionais e, com a ajuda da tecnologia e dos dados, os comportamentos regionais serão detectados e melhor identificados. Um parceiro melhor seria um banco aberto, que daria mais autonomia ao cliente e tornaria os serviços financeiros mais descentralizados, inclusivos e seguros. No Brasil, o open banking ainda é implementado pelo banco central e, como resultado desse conceito, o Pix surgiu no final de 2020, tornando-se rapidamente o principal sistema alternativo de pagamentos do país.

Com base no sucesso do Pix em tempo recorde, o movimento se expandirá para outros tipos de transações, como as internacionais. O Banco Central do Brasil está atualmente estudando como implementar a introdução do Pix nas operações de câmbio, e fazemos parte do Comitê Analítico. Além disso, a chegada da nova regulamentação cambial brasileira liderada pelo banco central tende a agilizar as transações.

Com transações rápidas e desburocratizadas e uma solução de pagamento em tempo real, os mercados se tornarão cada vez mais abertos e acessíveis, permitindo que clientes (de produtos e serviços) e comerciantes internacionais acessem um mercado maior que demanda produtos globais. .

Esta entrevista foi publicada pela primeira vez Tarifas transfronteiriças e relatório de comércio eletrônico 2021–2022Ele explora o mercado transfronteiriço em rápido crescimento e fornece uma visão abrangente das tendências e desenvolvimentos que são importantes neste espaço, tornando-se a melhor fonte de informações para empresas de comércio eletrônico interessadas em expandir globalmente.

Sobre Louis Henrik Didier Jr.

Com mais de 25 anos de experiência em instituições financeiras líderes no Brasil, Didier tem expertise em inovação em pagamentos, marketing, desenvolvimento de produtos e negócios e regulamentação cambial brasileira. No Bexs Banco, seu principal desafio é facilitar a inovação e a tecnologia por meio de bens e serviços globalizados para brasileiros e o acesso aos melhores bens e serviços brasileiros do mundo, por meio de transações de tarifas.

Sobre o Bexs Banco

Bex Bango É um provedor de serviços de pagamento transfronteiriço para empresas internacionais. Por meio de nossa plataforma de API, nossa solução oferece um mix de pagamentos, pagamentos e FXs para empresas de médio e grande porte que buscam viabilizar pagamentos locais no Brasil, permitindo pagamentos ou transferências para pessoas físicas ou jurídicas, possibilitando o acesso dos brasileiros à economia global. A plataforma de pagamento Bexs Pay é integrada ao Bexs Banco, que permite controlar FX em tempo real sem nenhuma surpresa ruim em suas liquidações.

READ  Albioma Kodora Energy ganha contrato de 100% para venda de energia da Usina Pagos

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to top