O Bordeaux exibirá um tambor gigante para a banda fora do estádio Notre Dame

SOUTH BEEND, Indiana – O famoso bumbo gigante de Purdue gerou uma grande polêmica antes do jogo de estrada de sábado no Estádio de Notre Dame.

Depois de ouvir que o maior baterista do mundo não teria permissão para entrar em campo pela entrada do estádio Notre Dame, a banda All-American de Purdue se apresentará no primeiro tempo sem bateria pela primeira vez desde 1979. Porta-voz da Universidade de Purdue Aaron Yoder disse, na sexta-feira, a banda ainda planejava trazer o megaboubo e mantê-lo fora do campo “para os fãs aproveitarem antes do jogo”.

Mas um funcionário da Notre Dame disse à ESPN na sexta-feira que Purdue não havia contatado a universidade para pedir permissão para trazer a bateria para o campus e ele pensou que ela não estaria lá.

A disputa entre escolas públicas é resultado da reforma do estádio da Notre Dame em 2017, que acrescentou um túnel de visitantes para times adversários e times em marcha. Antes disso, os lutadores irlandeses e seus oponentes haviam entrado apenas por um túnel, criando um pesadelo logístico.

O maior tambor do mundo é muito longo para cruzar o túnel do visitante menor.

“Fomos informados de que as orquestras e bandas visitantes deveriam usar um túnel separado muito menor”, ​​disse Yoder, porta-voz das orquestras da universidade. “Nosso cilindro tem cerca de 3 metros de altura em seu carrinho e 565 libras, então não estamos nem perto de instalá-lo naquele outro túnel.”

Um funcionário da Notre Dame disse que os irlandeses deram mais de 400 ingressos para a banda de Purdue, mais que o dobro do que deu à banda de Toledo na semana passada. Os Boilermakers jogaram pela última vez em South Bend em 2012.

READ  Previsões do jogo 7 do 76ers-Hawks: a vantagem dos estádios em casa faz com que os especialistas estejam inclinados para Joel Embiid e Philly à frente

O maior tambor do mundo, construído pela primeira vez em 1921, está comemorando seu 100º aniversário este ano. A última vez que a banda ficou sem ele foi em 1979, quando ele desapareceu do estoque na noite anterior à apresentação de Purdue no Northwestern. Posteriormente, ele foi encontrado atrás de um ar-condicionado em uma área acessível apenas por escadas, o que levou à especulação de que ele havia sido roubado e movido.

De acordo com Purdue, na época das viagens de trem, o empresário da banda Paul Spotts Emerick, que fez o tambor, trabalhou com a New York Central Railroad para encontrar vagões que pudessem abrigá-lo. Geralmente agora viaja na parte traseira de uma caminhonete.

Dave Wilson da ESPN contribuiu para este relatório.

Anselma Waltz

"O pesquisador irrecuperável do Twitter. Um advogado amador de mídia social. Especialista em música premiado. Tornou-se um viciado. Facilmente letárgico."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top