O autor desse texto tem 20 anos, na última final entre Corinthians X Palmeiras em 1999, tinha apenas 1 ano de idade, então a única coisa que sei daquela final e por TV é história; assim como as outras finais que já tiveram, uma final já desestabiliza qualquer amante de futebol, e uma final entre duas equipes que você jamais viu jogar, essa sensação multiplica por 10 no mínimo. Com todo respeito a Santos e São Paulo, mas uma final entre Corinthians X Palmeiras eleva o charme do futebol paulista, já que querendo ou não esse é o melhor clássico do país (desculpas ao pessoal de Poa, Bh e Rio, pois essa é a verdade). Derby o jogo do século.

As duas equipes fizeram 5 finais, o Palmeiras saiu vitorioso em 3 (1936, 74, 93), já o Corinthians em duas oportunidades (1995 e 99), apesar das poucas finais disputadas entre as equipes essas finais é impossível de sair da cabeça de qualquer torcedor independente se assistiu ao vivo ou não, contarei um pouco desses 5 campeonatos.

1936

Ainda como Palestra Itália, e uma rivalidade que começava a acender aos poucos, já que 3 anos atrás a equipe do Palestra ganhava por 8a0 do Corinthians que até hoje é a maior goleada do clássico, no primeiro jogo no Parque São Jorge ficou no empate de 0a0, no Parque Antártica a equipe Alviverde venceu por 2a1 com gols de Luizinho e Moacir e para equipe Alvinegra o gol foi de Filo, esse campeonato foi o ponta pé para uma das maiores rivalidades do país.

Pôster do Palestra Italia campeão em 1936

1974

O Corinthians já estava 20 anos sem ganhar um título.

O garoto do Parque (Rivellino) buscava seu primeiro título com a camisa do Timão. Uma das melhores equipes montadas no período da fila de 23 anos, apontado pela própria imprensa como o favorito. Mas no caminho apareceu a Academia do Palmeiras para estragar o sonho alvinegro. No primeiro jogo ficou 1a1, no segundo jogo com maioria esmagadora corintiana, aos 24 minutos do segundo tempo o estádio via Ronaldo marcar e deixar o Corinthians por mais tempo na fila do título.

Rivellino e Ademir da Guia na final daquele ano
Rivellino e Ademir da Guia na final daquele ano

1993

A empresa de laticínios Parmalat começava os investimentos para tirar o Palmeiras da fila de 16 anos sem títulos. E novamente o destino da bola colocava o Derby na final do paulista; no primeiro jogo surpreendendo a todos o Corinthians venceu por 1×0 com gol de Viola. Segundo o regulamento do campeonato no segundo jogo bastava uma vitória do Palmeiras para levar a prorrogação; e de forma encantadora o time alviverde fez 3×0 no tempo normal, onde na prorrogação e com dois jogadores a mais (Ronaldo, Henrique e Ezequiel expulsos, e para o Palmeiras Tonhão), Evair com toda calma e tranquilidade fazia de pênalti e tirava um peso das costas do torcedor.

Evair batendo o penalti e tirando o Palmeiras da fila
Evair batendo o penalti e tirando o Palmeiras da fila

1995

Dois anos depois voltava a se fazer a mesma final entre as equipes. Mas agora de forma diferente. Os dois jogos da final foram disputados em Ribeirão Preto, com o clima de revanche dentro daquele time. No primeiro jogo ficou empatado por 1×1. No jogo de volta o mesmo placar e pôr coincidência os jogadores que fizeram os gols foram os mesmos nas duas partidas; Marcelinho Carioca para o Corinthians e Nilson para o Palmeiras. Na prorrogação Eliventon marcava e tirava a agonia da torcida e enfim, o Corinthians conquistava seu primeiro título em cima do Palmeiras.

Muller tentando (em vão) tirar de cabeça a perfeita falta de Marcelinho Carioca
Muller tentando (em vão) tirar de cabeça a perfeita falta de Marcelinho Carioca

1999

Ao lado da final de 1993, essa é a final mais lembrada pelos torcedores.

o Palmeiras naquele ano eliminou o Corinthians nas quartas de finais da Libertadores; as finais do paulista por acaso caía a um mês depois daquele jogo, de fato o Palmeiras estava com a cabeça na Libertadores; mas isso não importou isso para o Corinthians que ganhou por 3×0 no primeiro jogo. No segundo o Palmeiras tinha sido campeão da Libertadores na mesma semana; então de forma provocativa colocou que o Corinthians colocaria a faixa no rival. Além de alguns jogadores do Palmeiras entrar com o cabelo verde, o jogo foi 2a2, mas a parte que todos lembram são as embaixadas do Capetinha e talvez a maior briga entre jogadores em um clássico.

Edilson provocando o Palmeiras com as famosas embaixadinhas
Edilson provocando o Palmeiras com as famosas embaixadinhas

Morumbi e Torcida

Apesar do estádio não ser de nenhuma das duas equipes é louvável lembrar que o Morumbi tem peso especial nessa história; já foi palco desses memoráveis jogos e já fazendo um comentário, olhando as festas das torcidas nas 5 finais é triste saber que nesse sábado e domingo que vem teremos apenas 1 torcida nos estádios; deixando o espetáculo incompleto.

E para finalizar, espero que seja um grande clássico e que tanto corintianos e palmeirenses daqui a 19 anos tenham boas histórias para contar dessa final.

Comenta aí:

3 COMENTÁRIOS

  1. You really make it seem so easy with your presentation but I find this matter to be actually something which I think I would never understand. It seems too complex and extremely broad for me. I am looking forward for your next post, I’ll try to get the hang of it!

  2. Does your website have a contact page? I’m having problems locating it but, I’d like to shoot you an email. I’ve got some recommendations for your blog you might be interested in hearing. Either way, great site and I look forward to seeing it develop over time.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here