Ted Ginn Jr recebendo no jogo deste domingo, contra o Philadelphia Eagles

 

 

Neste último domingo (14), o New Orleans Saints venceu o Philadelphia Eagles por 20 a 14. Dessa forma, se classificaram para a final da NFC.

Turnover. Desde já, essa palavra em tradução para o português significa “rotatividade”. Juntamente, talvez nenhuma palavra descreva tão bem, os momentos decisivos dessa partida.

Os momentos em que os mundos de Saints e Eagles giraram, foram realmente os de turnovers. As interceptações foram decisivas, do inicio ao fim.

Interceptação – Cre,Von Leblanc

Antes de mais nada, falemos do susto que foi o inicio da partida. A primeira posse dos Saints, primeiro toque na bola de Drew Brees, primeira interceptação. New Orleans já começou utilizando uma arma que os analistas, inclusive esse que vos escreve, achavam que deveria ser exaustivamente explorada.

Ainda mais, os Saints tentaram queimar a secundária dos Eagles. Quase que unânime na opinião geral, como o setor defensivo mais fraco da equipe.  Mas os visitantes pareciam esperar por isso, e em grande noite Cre’Von Leblanc interceptou a bola longa endereçada a Ted Ginn Jr.

Daí para frente, os Eagles tomaram conta do jogo. Imediatamente, marcaram um TD, passe de Nick Foles para Jordan Matthews. Seguidamente, como resposta, os Saints “reagindo” não saíram de um three and out. Enquanto isso os visitantes pareciam imparáveis, mais um TD, dessa vez Foles se esticando uma jarda para a endzone.

Interceptação – Marshon Lattimore

Os Saints estavam em maus lençóis, parecia que mais uma noite de playoffs acabaria em tristeza. Não foi dessa vez. A reação da equipe da casa começou com Marshon Lattimore, subindo no segundo andar, agarrando a bola antes do talentoso Zach Ertz.

Posteriormente veio a marcação. Drew Brees encontrou Keith Kirkwood no lado esquerdo da endzone. É importante frisar, que muito da vitória dos Saints se deve a atuação cirúrgica de Micheal Thomas, mesmo sofrendo com forte marcação da secundária dos Eagles, o WR apareceu para receber, as tão importantes bolas de desafogo.

Após diminuir a diferença com Field Goal ainda no segundo quarto, a atuação de Thomas foi premiada com um TD. Dessa forma os Saints viravam o jogo. Naquele momento parecia que o time engrenaria mais um ou dois TD,s, e garantiria uma vitória tranquila. Por fim, ledo engano.

O ataque de New Orleans conseguiu marcar apenas mais dois FG. Os Eagles recebiam a bola faltando um pouco mais de 2 minutos para o final de jogo. Juntamente, Nick Foles encontrava seus recebedores, em janelas curtíssimas, e o jogo se desenhava para o que parecia novamente uma noite triste, ou no mínimo para fortes emoções.

Interceptação final – Marshon Lattimore

Realmente foi uma noite de fortes emoções. O Philadelphia Eagles teve uma grande atuação. Tanto no ataque, com Foles distribuindo passes para todo o seu corpo de recebedores. Juntamente, como de sua defesa detendo e pressionando o explosivo ataque de New Orleans.

Os Saints ficaram durante muito tempo, encurralados pela forte atuação da linha defensiva, e surpreendente da secundária dos Eagles. No entanto, novamente a defesa da franquia, se provou decisiva. Simultaneamente, o front seven conseguiu deter o jogo corrido, e a atuação dos TE,s do adversário. Logo, a linha defensiva comandada por Cam Jordan, não sackou Nick Foles, mas cumpriram seu papel, obrigando o QB a soltar a bola com mais rapidez, e menos precisão.

A secundária dos Saints sofreu com as boas conexões de Foles para seus WR,s. Mas no fim, esse setor foi decisivo. Marshon Lattimore esteve no lugar certo, na hora certa, quando a bola passou das mãos de Alshon Jeffrey.

Em suma, a bola ficou com Marshon Lattimore. Os Saints queimaram o relógio, e terminaram o jogo com a vitória, e com a promessa de mais emoções ao enfrentar os Rams, no mesmo palco, na semana que vem.

 

 

 

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here