A seleção brasileira dá o ponta pé nesta terça (15) nesse novo torneio. Substituindo o Grand Prix, o Brasil agora encara a Liga das Nações como um grande teste. O ano será cheio de competições, teremos em seguida Copa Pan-Americana e o Montreux Volley Masters até vim o desejado Mundial.

Tandara em ação em 2017 no extinto Grand Prix. (Divulgação/CBV)

Com o foco total no Mundial, o Zé Roberto deve utilizar um rodizio para fazer testes durante a competição da Liga das Nações. O elenco conta com as levantadoras Roberta, Macris e Dani Lins, as opostas Tandara e Monique, as ponteiras Gabi, Rosamaria, Drussyla, Amanda e Natália, as centrais Carol, Bia, Adenízia, Mara e Thaisa e as líberos SuelenGabiru Jaqueline.

Apesar do elenco recheado, algumas atletas não jogam a competição por conta de lesão. Caso da ponteira Natália, da central Thaisa e da líbero Gabiru, se recuperam de lesão. Além da Gabizinha que apresentou um desgaste físico após a Superliga e da Dani Lins que recupera a forma física após ter bebê.

E para quem leu o nome da nossa Jaque na posição de líbero não precisa se assustar. A veterana topou o desafiou proposto pelo em atuar como líbero. Entratanto Jaque sempre teve um fundo de quadra impecável e por isso o queria utiliza-la de qualquer forma dentro de quadra. Recentemente, o ex ponteiro e marido da JaqueMurilo Endres, topou o desafio de torna-se o líbero do Sesi-SP e agora também da seleção masculina de vôlei. O casal de ponteiros, agora tornou-se o casal de líberos.

A Jaque comentou sobre essa nova posição ao site da CBV:

“Ainda é tudo muito recente e estou me adaptando. Não foi uma decisão pelo Murilo ter virado líbero, mas sempre tivemos uma função parecida dentro de quadra na seleção e nos clubes. Sempre fomos ponteiros passadores com responsabilidades similares. A mudança acabou sendo algo natural. Espero conseguir alcançar um bom nível nessa posição e estou muito motivada”

A veterana Jaqueline de volta a seleção, agora na posição diferente, líbero. (Divulgação/CBV)

O treinador Zé Roberto, disse ao site da CBV, como será jogar a Liga das Nações, sempre deixando claro seu o foco no Mundial:

“Serão sete semanas de competição. É um campeonato longo. Teremos muito revezamento entre as jogadoras para não desgastar ninguém. O campeonato mais importante desse ano é o Mundial. Queremos nos classificar para a fase final e fazer bons jogos”

Zé Roberto planeja fazer um rodizio para as jogadoras na Liga das Nações. (Divulgação/CBV)

Pela Liga das Nações, 16 equipes estão na disputa pelo título. A seleção brasileira disputará a primeira etapa da competição em Barueri-SP, no Brasil, entre os dias 15 e 17 de maio, e depois seguirá para Ancara, na Turquia, para a disputa da segunda etapa. Da Turquia seguem para Holanda, China e Itália para suas próximas etapas.

Programação dos jogos na fase do Brasil:

Brasil x Alemanha se enfrentam nessa terça (15), ás 15:05 na Globo.
Brasil x Japão se enfrentam na quarta (16), ás 15:05 na Globo.
Brasil x Sérvia se enfrentam na quinta (17), ás 15:05 na Globo.

O nosso grande teste será enfrentar os nossos maiores temores, as asiáticas. Logo na segunda partida pela Liga, teremos a seleção japonesa, será um ótimo teste. O país sede, a China, vem como a maior vilã da seleção. Isso acontece a muitos anos, mas a mais marcante foi a derrota nas Olimpíadas para as chinesas. Esse será o maior desafio das meninas, ter paciência e saber jogar com as difíceis seleções asiáticas.

Brasil se prepara para sua estreia na competição. (Divulgação/Felipe Leite/Gazeta)
Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here