Números não mentem certo? Talvez…

Foto/Divulgação site NFL

Terrell “TO” Ownes começou sua carreira como wide receiver na NFL em 1996, após ser selecionado no 3° round do Draft pelo San Francisco 49ers, vindo da pequena Universidade de Chattanooga no estado do Tennessee. Durante suas 16 temporadas na liga alcançou inúmeros momentos de glória, mas em dobro (no mínimo) de polêmicas, discussões, e todo o tipo de coisa que culminou na imagem de ser um “câncer” para qualquer equipe.

Seus números individuais são excepcionais

Ele é o 2° na história da liga em jardas recebidas com 15934, atrás apenas do incrível Jerry Rice (este que talvez jamais será alcançado por qualquer um com 22895); 3° em touchdowns recebidos (156) e por fim 8° em recepções (1078). São estatísticas que com certeza garantiriam que quase qualquer um entraria para o Hall da Fama em sua primeira oportunidade; caso esse alguém não fosse TO.

Owens foi companheiro de Rice no 49ers por 4 anos. Assim, aprendeu com o melhor de todos os tempos. Tudo o que ele precisava para ser excelente dentro e fora de campo mas, seu ego foi muito maior que tudo isso. Em 2003 saiu do 49ers e assinou um contrato de 7 anos com o Philadelphia Eagles, sendo dispensado da equipe após apenas 2 temporadas, mesmo ajudando a equipe a alcançar o Super Bowl e tendo uma das performances mais incríveis na final da NFL.

Ainda no Eagles, foi suspenso pelos 8 últimos jogos da temporada pelo então Head Coach Andy Reid. Isso ocorreu após criticar publicamente seus companheiros, técnicos, etc. Ao fim da temporada estava no mercado, novamente sem time, assinou então com o Dallas Cowboys. Agora a maior “diva” da liga estava sob os maiores dos holofotes possíveis, juntando-se ao “America’s team”.

Seus 3 anos junto a equipe não foram tão conturbados quanto os anteriores. Mesmo ainda sendo um dos melhores da liga, não trouxe vitórias nos Playoffs, e foi dispensado em 2008. Jogou seus dois últimos anos na liga junto aos Bills e Bengals, e anunciou sua aposentadoria após 16 temporadas na NFL.

Polêmico até fora da liga

Site/Divulgação: Ronald Martinez/Getty Images

Depois de ter feito história como um dos melhores de todos os tempos, Owens se sentia como um astro. Entretanto, mesmo após anunciar sua aposentadoria ele tinha certeza que iria entrar para o Hall da Fama em sua primeira oportunidade (jogadores só são elegíveis após o 5° ano de aposentadoria). Mas isto não ocorreu! Como a escolha dos próximos eternizados em Canton é feita por jornalistas, TO teve que esperar até sua 3° chance. Sendo assim, rejeitado durante os primeiros 2 anos de elegibilidade. Sua resposta? Em ambos os anos, pra variar, criticou tudo e todos.

Owens você está no lugar errado cara!

Site/Divulgação: AP Photo/Mark Humphrey

Curiosamente Jerry Kramer (ex-Packers) está sendo imortalizado na mesma classe que Owens, sendo que Kramer é o jogador que mais vezes foi recusado, mais de 40 anos esperando! E adivinhem só: Jerry está feliz! Foi respeitoso, entendeu que o processo as vezes pode ser demorado. Em todas as entrevistas que deu, ele agradeceu por finalmente entrar.

Agora em 2018 Terrell Owens foi oficialmente introduzido ao Hall of Fame da NFL, porém, se recusou a ir para a cerimônia. Ele foi o primeiro (e esperamos que o último) a fazer o mesmo. Deu seu discurso em Chattanooga, longe de todos, desrespeitando a história do esporte. E pra variar, mais uma vez sujando sua própria imagem por culpa do ego.

Eternamente lembraremos deste jogador pelos motivos errados (culpa dele mesmo) e no final, Owens se tornou finalmente o pior jogador a entrar para o Hall of Fame!

Comenta aí: