Militantes na Nigéria sequestram crianças de uma escola islâmica no último ataque de sequestro

Pelo menos uma pessoa foi confirmada como morta na última série de invasões de sequestro em escolas do país este ano.

A Polícia Estadual disse que “bandidos armados em motocicletas em grande número invadiram a cidade de Tijena, Ravi LG, atirando e sequestrando aleatoriamente uma série de crianças, o que ainda não foi confirmado na Escola Islâmica Salho Tanko”.

“Os bandidos mataram uma pessoa durante a operação”, acrescentou o comunicado da polícia. De acordo com policiais estaduais, equipes táticas foram “mobilizadas in loco” como parte do esforço de resgate das vítimas. “A liderança pede calma, pois a polícia e outros serviços de segurança farão tudo ao seu alcance para garantir que as crianças sejam salvas sem serem feridas”, disse a polícia estadual.

A porta-voz do governo do estado do Níger, Marie Noel Bergi, disse à CNN na segunda-feira que pelo menos 11 crianças sequestradas durante a operação foram libertadas.

“As 11 crianças foram libertadas por causa de sua ternura … Os muito jovens que não conseguiram cruzar o caminho da selva, a rota de fuga dos sequestradores, foram libertados”, disse Noel Bergi.

De acordo com uma porta-voz do governo, a escola alvo do ataque era composta por crianças do jardim de infância, do ensino fundamental e médio.

Ela acrescentou: “O governo está trabalhando para apurar o número de crianças sequestradas e está realizando um censo de casa em casa”.

O último sequestro na Tijena ocorre três meses depois 42 pessoas incluindo estudantesFoi capturado por militantes em Cagara que fica a cerca de 18 km de Tijena.

Também chega dias após a liberação dos alunos da Universidade de Greenfield, Kaduna. Cinco estudantes foram mortos por seus captores enquanto estavam sob custódia.

READ  A cúpula Biden-Putin acontecerá no próximo mês na Suíça

O sequestro se tornou um dos maiores desafios de segurança da Nigéria, e centenas de estudantes foram sequestrados em vários sequestros em massa no norte da Nigéria desde dezembro. Alguns governadores de estado pagam resgates regularmente para garantir a segurança das vítimas, mas raramente admitem isso.

Grupos de invasores, conhecidos localmente como bandidos, operam em bolsões de florestas no noroeste da Nigéria, organizando ataques e sequestros em áreas rurais e nas principais redes rodoviárias da Nigéria.

Entre junho de 2011 e o final de março de 2020, estima-se que 18,34 milhões de dólares foram pagos em resgate, de acordo com a empresa SBM Intelligence, com sede em Lagos, em um relatório do ano passado intitulado “A economia da indústria de sequestros na Nigéria”.

Menno Lange

"Geek da Internet. Entusiasta da comida. Pensador. Praticante de cerveja. Especialista em bacon. Viciado em música. Viajante."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top