Atualização 1 – Líder do Congresso diz que Brasil não avaliará energia em meio à seca

(Líder do Congresso nega ração)

BRASÍLIA, 22 de junho (Reuters) – O Brasil não estabelecerá racionamento de energia por causa da ameaça de interrupção de usinas hidrelétricas, disse nesta terça-feira o presidente da Câmara dos Deputados.

O presidente do parlamento, Arthur Lira, disse no Twitter que conversou com o ministro das Minas e Energia, Pento Albuquerque, que deixou claro que o governo não está considerando a ração de energia.

“Um incentivo voluntário será implementado para usar a energia do consumidor de forma eficaz”, disse Lira.

O Ministério de Minas e Energia na segunda-feira reiterou suas negativas anteriores, negando que qualquer ação tenha sido tomada para racionar o país com eletricidade. O ministério não respondeu imediatamente a um pedido de comentário na terça-feira.

No início da terça-feira, Lira discutiu o racionamento com Albuquerque na semana passada e disse que o período de teste do racionamento era necessário para lidar com uma grande crise. A audiência no Congresso sobre isso foi exatamente onde o debate começou.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, as barragens hidrelétricas do Brasil enfrentam o nível de água mais baixo em 91 anos.

A Petrobras, uma empresa de petróleo que opera no estado, está explorando novos aumentos no fornecimento de gás natural e permitindo a geração de energia hidrelétrica para compensar a escassez de energia hidrelétrica, em meio a extensas discussões sobre como corrigir a situação com óleo regulador elétrico. (Relatório de Maria Carolina Marcello; de Jack Spring; de Richard Bullin e Michael Perry)

READ  Atraso na reunião das mineradoras Brasil-Austrália endividadas em 2022

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to top