Investigadores brasileiros do COVID pedem adiamento da Copa América | Notícias de infecção por vírus Corona

Equipe da Comissão do Senado sobre a recente realização de uma partida de futebol no Brasil em meio a epidemias de COVID-19.

Funcionários do inquérito do Senado Brasileiro sobre a forma como o país está lidando com a pandemia COVID-19 pediram o adiamento do torneio de futebol da Copa América, citando taxas de vacinação mais baixas e os riscos de propagação do vírus.

Em uma carta para o time de futebol do país no domingo, funcionários da Comissão do Senado disseram que apenas 10,77 por cento das pessoas em todo o Brasil haviam sido vacinadas contra o vírus corona até sexta-feira.

A Comissão do Senado começou sua investigação sobre o tratamento do presidente de extrema direita Jair Bolzano por uma epidemia que matou mais de 472.000 pessoas em toda a América do Sul, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

“O Brasil não oferece assistência à saúde para receber esse nível de competição internacional. Ao contrário da realidade em que vivem os brasileiros, isso não só espalha uma falsa sensação de segurança e normalidade, mas também promove a integração das pessoas e abre um péssimo precedente”, disse a equipe. em sua carta.

“Não somos contra a Copa América no Brasil ou em qualquer outro lugar. Mas esperamos que o torneio possa esperar até que o país esteja pronto para recebê-lo. ”

Os funcionários são os últimos a levantar preocupações sobre os planos de sediar uma competição internacional no Brasil, já que as taxas de vacinação são baixas e especialistas em saúde pública alertam sobre novas infecções de saúde.

A Copa América foi inesperadamente selecionada pela federação sul-americana de futebol CONMEBOL na semana passada, forçando a Colômbia a recuar devido à persistente agitação social, enquanto a co-anfitriã Argentina foi rejeitada em meio a taxas de infecção do vírus corona.

READ  Brasil passa de 5.000.000 mortes Govt-19, o que é uma tragédia

“Cabe a mim, todos os ministros, incluindo o ministro da Saúde, decidir”, disse Bolsonaro, um suspeito do COVID-19 que rejeitou os pedidos de medidas de saúde pública, como bloqueio para prevenir a propagação do vírus.

Mas com alguns jogadores e treinadores levantando preocupações, questões continuam a ser levantadas sobre se o torneio irá progredir.

Na quarta-feira, o técnico da Argentina, Lionel Scaloni, disse: “O Brasil não é o melhor lugar”, enquanto o técnico uruguaio do Chile, Martin Lazarde, descreveu a decisão de jogar no Brasil como “um grande, grande risco”.

A Liga Mundial (WLF), que representa mais de 40 ligas profissionais e seus clubes, disse em uma carta à FIFA e à Associação Sul-americana de Futebol (CONMEBOL) no sábado que permitiria que jogadores sul-americanos evitassem jogar. Na partida.

Um anti-banner diz: ‘Não precisamos do arquivo, precisamos da vacina! Fora Bolzano ‘fora do Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Brasil em 2 de junho [Pilar Olivares/Reuters]

No entanto, a Argentina anunciou no domingo que participará do torneio, que vai de 13 de junho a 10 de julho.

A Argentina “confirma seu papel na Copa América, o que se reflete em suas proezas esportivas ao longo da história”, disse a Federação de Futebol do país (AFA) em um comunicado.

A AFA acrescentou que fornecerá “todas as ferramentas necessárias para garantir cuidados específicos” necessários para cumprir os regulamentos de saúde durante a Copa.

Enquanto isso, reportagens da mídia brasileira esta semana disseram que, embora o país esteja ocupado jogando para se classificar para a Copa do Mundo do próximo ano, os jogadores do país não querem jogar partidas organizadas às pressas.

A equipe vai divulgar um comunicado na terça-feira se deseja competir na Copa América, disse o capitão Carlos Casimiro.

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top