Connect with us

Top News

O desastre do vírus corona no Brasil atingiu um novo marco esta semana, e especialistas temem o que o espera

Published

on

Troy Holmes teme em um momento em que deveria ser o mais feliz de sua vida.

Nanda, a esposa brasileira do homem Adelaide, está grávida de seis meses, mas o casal se viu no meio de um hotspot COVID-19 global.

“Estamos com medo de ver tudo”, disse o gaúcho de 43 anos, de Porto Alegre, no sul do Brasil.

Eles só tentam fazer compras e ir ao médico fora de casa, mas não se sentem seguros.

“Nosso dia a dia consiste neste apartamento. Estamos no apartamento 24 horas nos sete dias da semana”, disse ele.

“Viemos para as reuniões e estamos parados no meio da sala, então não precisamos tocar em nenhuma cadeira”, disse ele.

Holmes, que emigrou para o Brasil há dois anos com sua esposa, que conheceu na Austrália, diz que a principal fonte de preocupação vem dos brasileiros que não levam o vírus a sério.

Quando olha para a rua, vê que muitas pessoas não usam máscaras e não acredita que possa fazer muita diferença, mesmo quando os cuidados são tomados.

“Há um pequeno teatro; eles medem a temperatura, mas não estudam a temperatura”, disse ele.

O Sr. Holmes, que trabalhou como professor de inglês na América do Sul, pode entender algumas das razões para a situação ficar fora de controle.

Um jovem segurando a bandeira do Brasil em um campo de futebol lotado
Troy e Nanda nunca saem de casa, exceto para compras de alimentos e consultas médicas. (

Apresentado por: Troy Homes

)

“Um terço da população aqui vive no que os australianos chamam de favela. Eles se autodenominam favelas aqui”, disse ele.

“Sem serviços, sem ajuda, educação muito precária … Não estou tão surpreso quanto estou. Porto Alegre não está só aqui.”

Como um sinal de como a situação está ruim, o Ministério da Saúde do Brasil recentemente aconselhou as mulheres a não engravidar por causa da crescente preocupação com o número de mulheres grávidas e mortes.

O Brasil fica em torno de 12 no eixo Y, enquanto os Estados Unidos e a Índia ficam em torno de 2
Novas mortes diárias por COVID-19 na Índia, Brasil e Estados Unidos (por milhão de pessoas) mostram que o Brasil tem a maior mortalidade populacional por COVID-19 em comparação com outros países.

O Sr. Holmes disse que tinha ouvido falar do conselho, mas não sabia que era apenas mais uma informação incorreta. De qualquer forma, a notícia veio muito depois de sua esposa engravidar.

“Estamos constantemente ouvindo rumores. É difícil entender o que é verdade e o que não é agora”, disse ele.

Brasileiros estão lutando para ter acesso a empregos em vacinas

O Brasil sofre atualmente cerca de 2.400 mortes por dia no início de abril, com mais de 4.000 mortes em dois dias.

Um homem de óculos escuros ri com as montanhas atrás dele
Troy Holmes, que mora no Brasil há dois anos, diz temer a resposta do país ao aumento da incidência de infecções por COVID-19. (

Apresentado por: Troy Homes

)

Mais de 100.000 pessoas morreram apenas no mês passado.

A distribuição da vacina agora confirma que a disseminação do vírus é alta, mas os esforços de vacinação têm sido lentos e em alguns lugares ele parou.

Mais de 13 por cento das pessoas no Brasil receberam pelo menos uma injeção.

Holmes – sem saber se ainda se qualifica para a vacina – disse que sua sogra brasileira havia recebido a primeira dose há um mês, mas retirou-se quando eles voltaram para a segunda injeção.

“Eles tiveram que ir à loja do médico e encontrar em outro lugar. Eles encontraram, mas demorou um dia para encontrá-lo”, disse ele.

A experiência deles parece fazer parte de um problema mais amplo de distribuição de vacinas.

Além da falta de vacinas em alguns locais, são crescentes os sintomas de que alguns nem mesmo tentaram completar o curso.

O ministério da saúde do país diz que 1,5 milhão de pessoas não receberam sua segunda injeção.

Estudos também mostram que a vacina é usada em 80% do Brasil – também conhecida como Sinovak e Koronavak da China – e não é tão eficaz quanto em outros países, como os Estados Unidos.

A máscara é injetada no ombro de um homem
Um grupo de voluntários de saúde viajou mais de 200 quilômetros pelo rio Utuma para vacinar pessoas na remota comunidade de São Francisco do Caribe.

(

Emitido por: Governo do Estado do Amazonas

)

O Dr. Julio Grota, epidemiologista da Fundação Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro, coordenou um estudo que constatou que o vírus sinovac era 50% eficaz contra a variante P1, desencadeando uma segunda onda no Brasil.

Aqueles que não tiveram uma segunda chance contra Koronovak “não estavam seguros”, disse Groda.

“Hoje em dia [you have] É 11 por cento menos do que a população que obtém a primeira injeção e menos de 5 por cento que obtém a segunda injeção ”, disse ele.

Isso significa que o país ainda está no “nível mais baixo de vacinação”.

Os médicos estão preocupados em abrir muito cedo

O sistema de saúde do Brasil voltou um pouco, com capacidade de UTI em alguns estados agora perto de 80 por cento, contra 90 por cento ou mais no início deste ano.

O número diário de mortes também está diminuindo, mas o Dr. Corda está preocupado com o país, que tem visto bloqueios e restrições descoordenados e perturbadores, reabrindo.

“Minha preocupação é que vocês estejam reabrindo todas as atividades, o que está aumentando a disseminação … e vocês podem ver uma queda no seu sistema de saúde nos próximos meses”, disse.

Enquanto o chefe do país, suspeito do COVID-19, o presidente Jair Bolzano, continua a neutralizar a crise, um inquérito parlamentar foi lançado no estado e na resposta federal à epidemia.

Bolsanaro se opôs a medidas de bloqueio mais rígidas e subestimou a gravidade do vírus desde o início. Ele falhou em reconhecer as máscaras duramente, mas recentemente apoiou o rolo de vacina.

Fileiras de leitos hospitalares em uma academia
O surto brutal de infecções por vírus corona neste ano levou hospitais de todo o país à beira do abismo.(

ABC News: Luis Rampaso

)

A investigação, desencadeada por rivais políticos do presidente, vai examinar por que a administração apoiou tratamentos não comprovados de COVID-19, como hidroxicloroquina, e o que causou o estado de desconfiança no estado do Amazonas quando os hospitais ficaram sem oxigênio no início deste ano. .

Esforços estão em andamento para vacinar as comunidades tribais

As autoridades de saúde na região amazônica agora estão priorizando a vacinação para comunidades remotas de alto risco e permitindo que todos nessas comunidades sejam vacinados ao mesmo tempo, partindo de uma lista classificada com base na idade agindo em outros lugares.

Um homem em um pico vermelho está na margem de um rio cercado por árvores tropicais
Profissionais de saúde no Brasil dizem que tem havido alguma relutância à vacinação entre as comunidades tribais na região amazônica. (

Apresentado por: Samara Zosa

)

Virgilio Vienna, diretor geral da Amazon Sustainability NGO Foundation em Manos, fez parte de uma equipe que viajou recentemente mais de 200 quilômetros pelo rio Utum para vacinar mais de 900 pessoas em São Francisco. Comunidade caribenha.

O Sr. Vienna disse que havia alguma relutância entre as comunidades tribais sobre a vacina.

“Existem algumas aldeias indígenas que rejeitaram totalmente a campanha de vacinação”, disse ele.

“Existem histórias – se você tiver uma vacina, você vai se transformar em um crocodilo – e obviamente as coisas que você sabe, são totalmente malucas, mas sim, isso é um problema”.

Empresas como ele tentam combater essas crenças com campanhas de comunicação e acreditam que estão infiltradas.

Mulher brasileira segura uma placa na margem de um rio dizendo 'Fui vacinada'
Este membro da comunidade de São Francisco do Caribe tem uma placa dizendo ‘Fui vacinado’. (

Emitido por: Governo do Estado do Amazonas

)

O professor Vienna disse no filme mais amplo que não se sentiu bem sobre isso e que o mais recente marco COVID-19 severo do país foi “o número de maior índice”.

Ele disse: “400.000 mortes é o maior número de pessoas.

“Tenho amigos pessoais e parentes, eles contraíram o vírus e muitas pessoas que conheço morreram de perto.

“De uma perspectiva mais ampla, vemos o fracasso das políticas para lidar adequadamente com as epidemias.

“Não é nenhuma surpresa termos números de registro COVID no Brasil.”

READ  Ex-Ronaldo diz que Neymar é importante para o Brasil vencer a Copa do Mundo
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top News

A economia menos competitiva do Brasil, mas melhor que a Argentina – MercoPress

Published

on

A economia menos competitiva do Brasil, mas melhor que a Argentina – MercoPress

O Brasil está entre as economias menos competitivas, mas melhor que a Argentina

Terça-feira, 18 de junho de 2024 – 09h26 UTC


“Estamos sufocando a cadeia produtiva brasileira”, explicou Tadeu

De acordo com relatório divulgado esta semana pelo Institute for Management Development (IMD), da escola de negócios suíça, o Brasil caiu duas posições neste ano, para o 62º lugar, em uma lista elaborada com base em estatísticas e pesquisas de opinião entre empresários.

O anúncio ocorreu dias depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva celebrar o status de seu país como a 8ª economia do mundo e revelar a meta de subir para a 6ª posição. De qualquer forma, a competitividade não parece ser o forte de Lula.

Apesar de ter ficado atrás da África do Sul e da Mongólia, o Brasil teve um desempenho melhor que o Peru (que caiu do 55º para o 63º lugar), a Nigéria, o Gana, a Argentina e a Venezuela no ranking de competitividade global, liderado por Singapura.

Para este inquérito, os índices estatísticos têm o maior peso nas pontuações dos países (dois terços), enquanto as sondagens com executivos e empresários de vários sectores ficam para trás. No Brasil, mais de 100 executivos foram entrevistados pela Fundação Dom Cabral (FDC), parceira do IMD na pesquisa. No total, os países são comparados em 336 índices.

A edição deste ano mostra uma avaliação positiva do desempenho econômico do Brasil, especialmente do crescimento do emprego e do produto interno bruto (PIB). Contudo, quando se olha para as despesas de capital, a legislação laboral, as contas públicas e as barreiras tarifárias, todos estes itens fazem parte das políticas implementadas pelo actual governo, e o país é um dos quatro piores.

READ  Brasil atingido por inundações e deslizamentos mortais | notícias de inundação

O Brasil ficou em penúltimo lugar no ensino básico e superior e ficou em último lugar na medição do acesso das instituições ao crédito.

“O custo do capital está aumentando porque estamos sufocando a cadeia produtiva brasileira”, explicou o professor Hugo Tadeu, diretor do Centro de Inovação e Tecnologias Digitais da Fundação Dom Cabral no Brasil, que supervisionou a pesquisa no sul. País americano.

Desde 2020, quando ocupava a 56ª posição, o Brasil caiu seis posições, devido à adição de economias mais competitivas ou por ter sido ultrapassado por países como Eslováquia, Jordânia e Croácia.

Atrás de Singapura vieram a Suíça e a Dinamarca pelas suas políticas públicas eficazes, infraestruturas avançadas e educação básica sólida, que criam um ambiente favorável à inovação e ao investimento.

“A visão macro do nosso desenvolvimento é satisfatória, mas olhando a visão micro, os desafios são muitos. Se não tivermos uma agenda estratégica para o país, continuaremos sofrendo nessas posições”, destacou ainda Tadeu.

Continue Reading

Top News

Lionel Messi e Argentina tentam conquistar seu terceiro título importante consecutivo na Copa América

Published

on

NOVA IORQUE – Lionel Messi e a Argentina tentarão igualar o recorde espanhol de três grandes títulos consecutivos. A série da Copa América começou Quinta à noite.

Vindo do Campeonato Copa América 2021 E isto Copa do Mundo de 2022Messi estará a quatro dias de completar 37 anos quando a Albiceleste enfrentar o Canadá no Mercedes-Benz Stadium, em Atlanta.

“Quero aproveitar mais duas partidas como campeão mundial”, disse Messi depois que a Argentina derrotou a França nos pênaltis na final da Copa do Mundo de 2022.

Ele marcou 10 gols em 10 partidas internacionais, totalizando 108 gols em 182 partidas pela seleção argentina. Ele se junta ao Ali Day em segundo lugar ou, dependendo se o polêmico gol do iraniano conta, fica atrás do português Cristiano Ronaldo com 128.

“Não é fácil competir novamente depois de vencer tudo”, disse o técnico argentino Lionel Scaloni.

Argentina e Uruguai estão empatados com 15 títulos da Copa cada, enquanto o Brasil está em segundo lugar com 9. Nenhum outro país ganhou mais de dois.

O Brasil tem um ataque liderado por Vinicius Jr. e Rodrigo. Título da Liga dos Campeões com o Real Madride Rabinha. A estrela em ascensão Endric, de 17 anos, ingressará no Real Madrid neste verão.

“Se você olhar para todas as posições do 11 titular proposto, é provavelmente um dos melhores jogadores do mundo”, disse o técnico dos EUA, Greg Berhalter.

A Espanha é o único país que conquistou três títulos importantes consecutivos no Campeonato Europeu de 2010, na Copa do Mundo de 2008 e 2012.

Uma olhada na competição:

Assim como em 2016, serão 16 equipes. Os Estados Unidos, México, Canadá, Costa Rica, Panamá e Jamaica juntam-se aos 10 países sul-americanos após se classificarem na América do Norte, Central e Caribe.

READ  Lei brasileira sobre agrotóxicos é aprovada, mas tem 14 vetos | Prefeito Brown

O Equador sediaria o torneio sob rotação da CONMEBOL, órgão dirigente do futebol sul-americano, mas foi rejeitado. Mais tarde, o torneio foi transferido para os Estados Unidos, que também sediou uma Copa América especial do centenário em 2016. Chile vence Argentina nos pênaltis no MetLife Stadium em East Rutherford, Nova Jersey.

Onze estádios da NFL estão sendo usados ​​para a Copa do Mundo de 2026, incluindo oito dos 11 estádios dos EUA e três casas menores da MLS. A final começará em Miami Gardens, Flórida, no dia 14 de julho, cinco horas após a final do Campeonato Europeu em Berlim.

A CONMEBOL afirma que mais de 1 milhão de ingressos foram vendidos para 32 partidas. O torneio de 2016 atraiu pouco menos de 1,5 milhão, enquanto o torneio de 2019 no Brasil atraiu 850 mil. A Copa 2021 foi disputada em grande parte sem torcedores devido à pandemia do coronavírus.

Será o maior teste para a seleção dos EUA antes da Copa do Mundo – os americanos receberão uma vaga automática junto com o México e o Canadá – e a maioria dos jogadores da Europa deverá pular a Copa Ouro da CONCACAF do próximo ano.

Christian Pulisic, Tyler Adams e Weston McKenney são componentes-chave de um elenco que retorna 18 jogadores da escalação da Copa do Mundo de 2022.

“Uma Copa do Mundo em casa é algo que você sabe que faremos em nossas vidas”, disse Pulisic. “É um momento especial para este esporte na América.”

Em 2016, a CONMEBOL fez parceria com a Federação de Futebol dos Estados Unidos, que foi responsável pela maior parte da logística. Desta vez, a CONMEBOL organiza o torneio em colaboração com a CONCACAF, o órgão dirigente da América do Norte, Central e do Caribe.

READ  Casos de doenças bacterianas aumentam nas enchentes no Sul do Brasil

Ao contrário da Copa do Mundo, os organizadores só têm acesso por curto prazo. No Hard Rock, está previsto um concerto para o dia 6 de julho, entre o último jogo da fase de grupos e a final, e será instalada uma nova superfície de grama.

No MetLife Stadium, a semifinal será disputada no dia 9 de julho, e a equipe verá isso como uma prévia da final da Copa do Mundo, em 19 de julho de 2026. O estádio conta com sistema de câmeras projetado pela Arecont Vision e gerenciado pelo Centro de Segurança Genetec. Instalado antes do Super Bowl de 2014, um novo sistema da Axis Communications está sendo instalado neste verão com 80 câmeras 8K e 41 megapixels nos assentos.

“Podemos ver todos os assentos o tempo todo. disse Daniel DeLorenzi, vice-presidente de serviços de segurança e proteção. “Temos três sistemas de detecção de drones. … não só o drone pode ser rastreado, mas, mais importante ainda, onde o operador está.

___

AP Esportes: https://apnews.com/sports

Continue Reading

Top News

Brasil resolverá atrasos legais com GPT-4

Published

on

Brasil resolverá atrasos legais com GPT-4

Bem-vindo ao nosso Tech Roundup, onde trazemos para você as maiores histórias de tecnologia e inovação no Brasil e na América Latina. Esta semana: Usando GPT-4 para gerenciar milhões e milhões de casos.

O Gabinete do Procurador-Geral usa o GPT-4 da OpenAI para lidar com seu enorme backlog

Em março do ano passado, a Procuradoria-Geral da República (AGU), que representa os interesses do governo federal no sistema jurídico, foi uma das primeiras empresas do setor público brasileiro a empregar o GPT-4 da OpenAI embarcado no serviço de nuvem da Microsoft Azul. – Já é fornecedor da AGU.

Até o final de 2022, a Microsoft e suas subsidiárias Havia contratos Com mais de 280 órgãos da administração pública.

ambiente. “Usamos aprendizado de máquina e outros algoritmos de classificação de documentos há mais de dez anos, mas ainda estamos tentando encontrar maneiras de extrair melhor estrutura, classificação semântica e insights do enorme volume de documentos jurídicos que lidamos todos os dias”. Francisco Alexandre Colares, secretário de Gestão Administrativa e Estratégica da AGU afirma Relatório brasileiro.

  • Os técnicos da AGU tentaram construir um modelo baseado no BERT, a IA do Google, mas após o boom do OpenAI no final de 2022, eles perceberam que não precisavam construir seu próprio modelo, pois a tecnologia do investidor da Microsoft cobria a maioria de suas necessidades.
  • “Preenchemos um formulário no início de 2023 e, assim como outras empresas, demonstramos interesse em testar o modelo e logo fomos selecionados”, afirma Sr. Coleres, os modelos de base AWS da Amazon também foram avaliados.

Super Sapiens. Em junho do ano passado, novas tecnologias integrado Com o Super Sapiens, gerenciador de documentos eletrônicos da AGU, os testes começaram em duas áreas principais:

  • Consolidação dos Juizados Especiais Cíveis (Juizados Arbitrais Infraestatutários…
READ  Desmatamento na Amazônia brasileira atingiu seu pior nível em 15 anos
Fabiane Ziolla Menezes

Ex-editora-chefe do LABS (Latin America Business Stories), Fabiane tem mais de 15 anos de experiência em negócios, finanças, inovação e cidades no Brasil. Esta última recentemente a levou de volta à sala de aula e concluiu o mestrado em Gestão Urbana pela PUCPR. Na TBR, ele fica de olho na política econômica, nos negócios revolucionários e nos motores da inovação na América Latina.

Continue Reading

Trending

Copyright © 2023