Tribunal de Londres deve reconsiderar 9 caso 6.9b contra o colapso da barragem do Brasil em 2015

LONDRES – Um tribunal de apelações de Londres deve ouvir um processo de 5 bilhões (US $ 6,95 bilhões) contra o grupo de mineração anglo-australiano BHP sobre uma ruptura de barragem em 2015 no Brasil, decidiu um tribunal.

O juiz Nicolas Underhill concordou com uma audiência oral para ajudar a anular a decisão do tribunal de apelação anterior, que negou o recurso do painel de apelações brasileiro de 200.000 pessoas contra o veredicto no caso principal.

“Estou satisfeito que uma audiência oral seja apropriada neste caso”, disse o juiz na ordem, que foi assinada em 4 de maio e vista pela Reuters na quinta-feira.

Detalhes adicionais não estavam disponíveis imediatamente.

A ordem vem menos de dois meses depois que o Tribunal de Recursos negou permissão para prosseguir com os tribunais ingleses sobre o pior desastre ambiental do Brasil.

O tribunal de apelação concordou com um tribunal de primeira instância em março, dizendo que o processo do caso era abusivo e que os reclamantes poderiam buscar indenização no Brasil e que o caso era “inegavelmente incontrolável”.

O rompimento da barragem Famato, de propriedade da Samarco Company entre a BHP e a mineradora brasileira de minério de ferro Vail, matou 19 pessoas e enviou resíduos de mineração para comunidades no rio Dos e no oceano Atlântico, a 650 km de distância.

Desde então, a Samarko entrou com pedido de proteção contra falência.

PGMBM, um escritório de advocacia que representa os reclamantes brasileiros, disse que foi contatado por vários clientes “para agradecê-los pelo feedback fornecido pelo Tribunal de Recurso sobre o seu pedido”.

A BHP, a maior mineradora do mundo em valor de mercado, disse estar ciente da aplicação.

“Decisões anteriores (judiciais) apoiaram nossa posição de que as ações cíveis são desnecessárias porque já duplicaram os assuntos cobertos pelo trabalho atual e em andamento da Fundação Renova e estão sujeitas a ações judiciais em andamento no Brasil”, disse um porta-voz da BHP.

READ  Chile x Brasil: Qualificação para a Copa do Mundo ao vivo, canal de TV, como assistir online, notícias, contradições, tempo

A Fundação Renova é um programa de socorro fundado em 2016 pela Samarco e a Vale, braço brasileiro da BHP.

Esta é a última batalha para estabelecer se as empresas multinacionais podem ser responsabilizadas pelo comportamento de subsidiárias no exterior.

Em 2019, a Suprema Corte do Reino Unido permitiu que os aldeões defensores processassem a mineradora Vedanta no Reino Unido por suposta poluição na África, permitindo que agricultores e pescadores nigerianos perseguissem a Royal Dutch Shell em conexão com o derramamento de óleo no Delta do Níger em fevereiro.

($ 1 = 7 0,7196) (Relatório de Kirsten Ridley. Edição de Jane Merriman)

Foto no topo: Em 8 de novembro de 2015, depois que duas barragens explodiram na quinta-feira, 5 de novembro no estado de Minas Gerais, Brasil, equipes de resgate procuram as vítimas no local da cidade de Pento Rodriguez. A Polícia Federal brasileira culpou na quinta-feira, 14 de janeiro de 2016, as mineradoras Samarco, Vail e VogPR e sete de seus executivos pela explosão de uma barragem que registrou o maior desastre ambiental da América Latina. (AP Photo / Felipe Dana, arquivo)

Títulos
Cases Londres

Curiosidade Estojos?

Obtenha alertas automáticos para este tópico.

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top