Mitchell Trubisky, escolhido pelos Bears como na terceira escolha geral. Patrick Mahomes décima escolha geral. Deshaun Watson escolhido pelo Houston Texans na décima segunda escolha geral e Deshone Kizer quinquagésima segunda escolha geral e recrutado pelo Cleveland Browns. São os quatro principais nomes da classe de quarterback draftados em 2017, com isso decidimos avaliar como foram suas estreias como profissionais.
Deshawn Watson
O primeiro a fazer a estréia foi Deshaun Watson, pelos Texans. Watson, teve um jogo consistente embora tenha apresentado algumas falhas. Teve 15 acertos em 25 passes tentados, 179 jardas e não cometeu turnovers. Entre as falhas a principal delas é a dificuldade para plantar  os pés para realizar os passes. Como principal ponto positivo é sua mobilidade, que inclusive lhe rendeu um touchdown terreste.
Mitchell Trubisky
Trubisky, foi o segundo a atuar e o que demonstrou maior maturidade até agora. Teve ótimos números, 18/25, 166 jardas, 1 touchdown e nenhuma interceptação. Demonstrou boa presença no pocket, um bom trabalho de pés e um ball placement que realmente impressiona.  Em dado momento no jogo esteve com 100% de acerto nos passes e 1 touchdown. Glennon que se cuide, pois a pressão será grande para cima dele nas próximas partidas dos Bears.
Deshone Kizer
Deshone Kizer, foi outro calouro que demonstrou um enorme potencial. Demonstrou ter um braço ótimo. Teve 11 acertos em 18 passes tentados, 184 jardas e 1 touchdown. Demonstrou boa mobilidade, entretanto uma certa dificuldade em sentir a pressão. Em resumo teve uma estréia sólida e não me assustaria se Kizer começasse a semana 1 da temporada regular como titular.
 Patrick Mahomes
Patrick Mahomes, The Texas Gunslinger, como era conhecido em seus tempos de Texas TECH. Demonstrou o que todos sabiam, tem o braço mais potente da classe. Não tem uma precisão tão apurada como a de Trubisky, porém a facilidade com que lança uma bola para 40 ou 50 jardas é surreal. Teve números razoáveis: 7 acertos em 9 passes tentados 1 touchdown e nenhuma interceptação.
Embora o espaço amostral seja curto para a maioria destes quarterbacks, algumas coisas já puderam ser notadas, tais como a precisão de Trubisky, a mobilidade de Watson, e a força nos braços de Mahomes e Kizer. Em breve faremos uma nova análise dos quatro e traremos mais detalhes dos mesmos.

 

Comenta aí:
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on Twitter0Buffer this page