Mas antes que torcedor de outros times venham ridicularizar a situação, olhe para seu umbigo, afinal seu time pode estar passando pelo mesmo problema.

Começando: sou avaiano, sócio desde 2014 (sim, dessa forma continuo pagando regularmente minha mensalidade) mas ainda não fui em um jogo se quer em 2018.

Me associei na “pior fase” nesse quesito para o clube da Ilha de Santa Catarina segundo meu entendimento.

O Avaí havia perdido dezenas (talvez centenas) de sócios logo após o vexame do não acesso para a Série A em 2013 (logo após uma derrota terrível por 4×0 para o rival na Ressacada).

Eu enxergava ali a necessidade de abraçar o clube no momento mais difícil do qual eu havia presenciado. Enfim, se me arrependo? Nem um pouco!

Aquele Avaí comandado pelo técnico Geninho (que retornou ao cargo nesse ano) conseguiu o acesso ao final de 2014 logo após uma combinação de resultados inimagináveis para aquela ocasião.

Motivo número 1: o sobe e desce!

Mesmo que inconscientemente, essa gangorra de idas e vindas entre a Série A e a Série B vai minando a vontade do torcedor de ir ao estádio.

Pessoalmente, eu tinha muito mais vontade de ir assistir um jogo da Série B no estádio do que um jogo da Série A.

Talvez por atrelar a Série A com um “certeza” que no final do ano seríamos rebaixados.

2017 talvez tenha sido o ano mais “estranho” para o torcedor avaiano. A sensação de jogarmos uma primeira divisão com um time mais fraco do que aquele que tínhamos na segundona do ano anterior.

Jogar uma Série B com um monstro no gol, o Renan, e começar uma Série A com o inconsistente Kozlinski tentando defender a meta avaiana.

Motivo número 2: com que meio de transporte eu vou?

Eu moro na Grande Florianópolis, em uma cidade distante 25 km do estádio Aderbal Ramos da Silva.

Segundo expectativa do Google Maps, um trajeto que deveria levar aproximadamente 22 minutos.

Indo de carro, chegamos a levar até 2 horas para percorrer essa distância.

A avenida Diomício Freitas, que por um bom tempo faz parte das promessas de políticos para ser duplicada, caminha em passos lentos.

E pode piorar. Para fazer esse trajeto de ônibus, pasmem, são necessários pegar 3 linhas diferentes em um tempo que pode levar até mais do que 3 horas.

Motivos número 3, 4, 5 …  vale o preço?

Agora juntemos tudo isso. Aproximadamente R$ 20,00 com ônibus, mais um ou outro hotdog, mais o sagrado “ki-suco” de todo jogo.

Por jogo, você gastará por baixo uns R$ 40,00. Vamos levar em consideração que serão 3 jogos por mês na Ressacada – R$ 120,00.

Mas a mensalidade (que acho um preço justo), R$ 50,00 – serão aproximadamente R$ 170,00 que o torcedor deverá desembolsar todo mês.

Um pacote de futebol na tv a cabo com as Séries A e B, custa pouco mais de R$ 60,00.

E tem mais, você não precisará sair horas antes para deslocamento até o estádio e logo após acabar o jogo você “já estará em casa”. Tem como o torcedor não preferir isso?

Mas nem tudo são “problemas”

Uma das poucas vezes que o estádio tem bom público, em clássico (foto: Frederico Tadeu/Avaí FC)

Só tem uma coisa que eu sinto falta das idas ao estádio: primeiramente os amigos que lá fiz. Espero um dia poder voltar a ter aquela alegria, aquela vontade de ir ao estádio.

Mas hoje, torcedor avaiano, antes de mais nada, lhes peço perdão: eu me tornei um torcedor de sofá!

(foto de capa: Jamira Furlani/Avaí FC)

Comenta aí:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here