A cobra brasileira tem em seu veneno uma molécula que bloqueia o vírus corona – UNESP

Rio de Janeiro, Brasil – O clímax de “a diferença entre remédio e veneno está na dose” raramente foge da realidade. Uma nova confirmação nesse sentido vem de pesquisas realizadas por cientistas do Instituto de Química (IQ) do UNICEF, em Araraguara, São Paulo, um novo vírus corona que pode detectar e interromper a reprodução de um veneno peptídico (pedaço de proteína) da cobra brasileira. Zaragoza.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores realizaram uma análise laboratorial que mostrou a relação entre a molécula extraída do veneno de réptil e as células de macacos. . .

Para ler as notícias completas e muito mais, assine nosso plano de associação premium. Já inscrevi? Cadastre-se aqui

Artigo anteriorChile, derrotado pela Bolívia e Peru, pensa no sonho perdido das corridas espaciais
Artigo seguinteA comissão do Senado aprovou a recondução de Augusto Aras como procurador-geral do Brasil

A equipe do Rio Times é uma rede de jornalistas freelance e blogueiros em toda a América Latina que nos reportam notícias de seus territórios. Essas informações são coletadas, verificadas e processadas em nossa redação.

READ  Ofertas de gestão de resíduos sólidos do Brasil abrem oportunidades para investidores

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top