Atividade econômica brasileira em março cai abaixo do esperado, indicando crescimento do PIB no primeiro trimestre

Em 19 de fevereiro de 2021, um trabalhador verifica o nível de combustível em um vagão de trem próximo ao tanque da Petrobras Oil Company, em Brasília, Brasil. REUTERS / Ueslei Marcelino – RC2VVL9V46QF

A atividade econômica no Brasil caiu em março, o índice do Banco Central mostrou nesta quinta-feira, a primeira queda em 11 meses devido ao bloqueio para enfrentar a segunda onda da epidemia de COVID-19, mas uma queda bem menor do que os economistas esperavam.

O Índice de Atividade Econômica do IPC-PR, indicador antecedente do PIB, apresentou queda mensal menor do que o esperado, com aumento confortável do índice no período janeiro-março, dissipando os temores de contração no primeiro trimestre.

“Considerando o desempenho mais forte do que o esperado da economia em março, a força dos primeiros indicadores de desempenho para o segundo trimestre e a melhora adicional nos termos de troca, estamos melhorando a previsão de crescimento do PIB para 2021 de 4,1% para 4,5%”, disse Alberto Ramos da Goldman Sachs.

O índice IPC-PR caiu sazonalmente para 1,59% em março. Esta é a oitava queda acentuada desde o início da série em 2003, de acordo com dados da Refinitive.

Mas isso é menos da metade da estimativa média da pesquisa dos economistas de queda de 3,75%, que é de que o índice subiu 2,3% nos três primeiros meses deste ano em relação aos três últimos meses do ano passado.

O índice com ajuste sazonal em março foi de 140,16, ligeiramente superior aos 139,36 registrados em fevereiro do ano passado, antes que a epidemia de COVID-19 paralisasse a economia e desencadeasse a maior queda anual da atividade desde 1990.

Com esta mudança, a maior economia da América Latina voltou ao seu nível de meados de 2015 em março, mas é 5,7% menor do que o pico em dezembro de 2013 em termos de ajustes sazonais.

READ  Dados levantam preocupações com o início da temporada de incêndios florestais no Brasil

O índice IPC-PR subiu 6,26% em uma base não sazonal desde março de 2020, refletindo a extensão da retração econômica que ocorreu quando o banco central atingiu a epidemia pela primeira vez.

Nos primeiros 12 meses de março, o índice registrou queda de 3,37%.

Nossos padrões: Princípios da Fundação Thomson Reuters.

Tadday Köhler

"O desconfortavelmente humilde fã de TV. Generalista de Twitter. Entusiasta de música extrema. Conhecedor de Internet. Amante de mídia social".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top