Ela está de volta! A grande Laranja Mecânica, sinônimo de um futebol vistoso e competitivo, volta aos holofotes logo após uma grande tragédia esportiva. E, com um elenco renovado, já tem presença garantida no Final Four da Nations League.

A tragédia

Inevitavelmente, ficar fora de uma Copa do Mundo é uma tragédia. Ainda mais para uma seleção do calibre da Holanda, vice-campeã das edições de 1974, 1978, 2010 e 3° lugar na Copa de 2014. Mas foi o que aconteceu.

Em um grupo acessível nas Eliminatórias, ao lado de Suécia, França, Bulgária, Luxemburgo e Bielorrússia; a Laranja decepcionou. Em partida decisiva contra a os suecos, no qual precisavam de um milagre (vencer por 7 gols de diferença para ir para a repescagem), venceram por apenas 2 x 0, e o sonho acabou.

Grande nome do elenco holandês, Robben despediu-se da seleção após as Eliminatórias. Foto: Emmanuel Dunand/AFP.

Primeiro semestre melancólico e Amistosos

Mesmo de ressaca após o vexame nas Eliminatórias, a Holanda já começou 2018 tensa. Em janeiro, ocorreu o sorteio dos grupos da Nations League, o novo torneio de seleções da UEFA. E, para a “sorte” do carrossel, a seleção caiu no grupo da morte, ao lado de França e Alemanha.

Pensando no torneio, que começaria em setembro, a comissão técnica tratou de fazer uma renovação no elenco e marcou alguns amistosos de preparação. A sequência de jogos foi: Inglaterra (derrota, 1 x 0); Portugal (vitória, 3 x 0); Eslováquia (empate, 1 x 1); Itália (empate, 1 x 1) e Peru (vitória, 2 x 1).

A campanha na Nations League

Enfim, chegou o dia da estréia da Nations. E, logo de cara, uma pedreira gigantesca: a França, atual campeã do mundo, jogando no Stade de France. Logicamente, o resultado não viria, e os holandeses perderam por 2 x 1.

Como o torneio é de tiro curto, qualquer derrota já liga o sinal de alerta para um possível rebaixamento. Na sequência, receberam a temida Alemanha, na Johan Cruyff Arena. O carrossel jogou como nunca e enfiaram 3 x 0 nos germânicos. Como descansavam na rodada seguinte, fizeram um amistoso contra a Bélgica, que ficou no 1 x 1.

Empolgados pela grande vitória, e com a possibilidade real de classificação à próxima fase, receberam a França, em Amsterdã. A vitória no confronto direto, por 2 x 0, deu esperanças à Laranja, que bastava empatar na última rodada para conquistar a vaga.

Justamente, foi isso que aconteceu. Em grande partida, a Alemanha chegou a abrir 2 x 0 no placar mas, no último suspiro, Van Djik selou o empate com um golaço. 2 x 2 e Holanda classificada às finais da Nations League. E de quebra, ainda rebaixou os germânicos à liga B.

Grandes destaques

Em janeiro, quando o Liverpool pagou mais de 78,00 M € ao Southampton por um zagueiro, muitos criticaram o gigante inglês. Mas, a cada partida que passa, Virgil van Dijk vem provando a todos que o investimento foi válido. Dono de uma potência física ímpar e de grande qualidade técnica, assumiu de vez o comando da defesa holandesa, sendo nomeado capitão.

A cada partida, Virgil van Dijk consolida seu status de nível mundial.

O companheiro do capitão na defesa também é uma joia, cobiçado por grandes clubes europeus: Matthijs de Ligt. O jovem tem uma grande maturidade para a sua idade (19 anos), um ótimo senso de posicionamento, potência física e muita técnica.

O sopro de habilidade foi Memphis Depay. Rápido, habilidoso e cirúrgico, o ponta-esquerda infernizou as defesas rivais e anotou dois importantes gols na campanha. E o dono do meio-campo foi Georginio Wijnaldum, que comandou todas as ações ofensivas e também anotou dois gols.

Confronto Pesado

Na manhã desta segunda-feira (3), em Dublin, a UEFA sorteou as semifinais da Nations League. Os holandeses enfrentarão a temida Inglaterra, enquanto o outro confronto será entre Portugal x Suiça.

Por ter melhor campanha na Nations, Portugal será sede da fase final da competição. As datas dos confrontos será nos dias 5 e 6 de junho de 2019.

Comenta aí:

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here