Lucy Liu fala sobre sua rivalidade com Bill Murray no set de Charlie’s Angels – The Hollywood Reporter

Lucy Liu Ela se abre sobre o suposto conflito que teve Bill Murray durante as filmagens Anjos de Charlie.

enquanto conversava com Los Angeles Times Bastante asiático notação de áudio, a atriz disse que embora ela não “entrasse em detalhes”, houve um momento em que ela ficou na frente de Murray durante as filmagens do filme de 2000. Ela se lembra dos atores que ensaiaram a cena que Murray não pôde participar porque ele teve que comparecer a uma reunião de família. No entanto, as coisas mudaram quando ele voltou ao trabalho, diz ela, e começou a “lançar insultos” que “não param de se repetir”.

“Eu fiquei, tipo, ‘Uau, parece que ele está olhando diretamente para mim. “Não pude acreditar que pudesse ser contra mim, porque o que eu faria com algo tão importante naquela época?”, Disse ela.

Liu disse que perguntou se ele estava falando com ela, explicando que ficou mais claro quando ele “começou a se tornar uma conexão entre duas pessoas”.

Era injusto e não havia justificativa para isso. Parte da linguagem era inaceitável e inaceitável, e eu não iria sentar lá e comer. Então, sim, eu me defendi e não me arrependo. ”“ Porque não importa o quão baixo você esteja no totem ou de onde você venha, não há necessidade de transigir ou desapontar os outros. E eu não vou desistir, e nem eu deveria nem eu. “

The Hollywood Reporter Um representante de Murray foi localizado para comentar.

Anos depois, Liu disse que ex-membros da tripulação expressaram a ela o quanto estavam “gratos” por fazer o que ela fez. Apesar do confronto, Léo afirmou que não tinha “nada contra” o ator e desde então se viram enquanto estavam no set. Saturday Night Live Reunião. “Ele veio até mim e foi totalmente legal. Mas eu não vou ficar sentada aí e ser atacada”, disse ela.

READ  Rita Moreno responde à crítica de cores 'In the Heights' - The Hollywood Reporter

Ela acrescentou que “não queria ser aquela pessoa que não falaria por mim e defendia a única coisa que tenho, que é minha dignidade e respeito próprio no final do dia.

“Porque no final, todos acabamos no mesmo lugar com o tempo”, acrescentou ela. “Ninguém é imortal. Mas naquele momento, não importa o que aconteça a partir de agora e que escolhas de carreira eu faça ou que decisões de vida eu faça, eu vou embora com dignidade.”

Liu também mencionou que quando os relatos do encontro deles surgiram pela primeira vez, ela achou “incrível” ver como as coisas “acabaram” na imprensa e “as pessoas automaticamente pensaram que a mulher era durona.

“Não entendi como as coisas mudaram quando não tive nada a ver com instigá-lo ou criar a plataforma de confronto ou ansiedade. Portanto, embora décadas tenham se passado, obviamente me lembro dele de perto.”

Swanhilda Müller

"Jogador. Introvertido. Solucionador de problemas. Criador. Pensador. Evangelista vitalício de alimentos. Defensor do álcool."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top