Miller, ex-conselheiro do Trump, detido brevemente no Brasil – East Buy Times

Por Rodrigo Pedroso, Michael Warren e Samantha Beach | CNN

Jason Miller, um ex-conselheiro sênior de Donald Trump, disse que foi brevemente detido e interrogado por autoridades brasileiras na capital do país na terça-feira.

Miller disse que estava no aeroporto de Brasília quando ele e membros de seus companheiros foram interrogados por três horas pelas autoridades. Miller disse no Twitter que esteve no país para a Conferência de Ação Política Conservadora na semana passada.

“Não fomos acusados ​​de qualquer delito, ele apenas nos disse que queriam conversar”, disse Miller. Dissemos a eles que não tínhamos nada a dizer e eles foram eventualmente liberados de volta aos Estados Unidos.

A CNN perguntou ao governo brasileiro e à polícia federal por que Miller e sua equipe de viagem estavam sendo questionados, mas ainda não receberam uma resposta.

Terça-feira é o Dia da Independência do Brasil, e dezenas se reuniram em protesto em cidades de todo o país, em apoio e oposição ao presidente Jair Bolsonaro. Bolsonaro enfrenta uma investigação iminente no tribunal eleitoral, deteriorando os números das pesquisas e as críticas sobre sua resposta à pandemia do coronavírus. A CNN Brasil informou que Bolsonaro conheceu Miller em uma conferência neste fim de semana.

Falando em um comício na terça-feira, Bolsonaro mencionou um “americano interceptado” durante sua condenação do juiz da Suprema Corte Alexandre de Moraes, sem mencionar Miller ou seus colegas pelo nome. Bolsonaro se recusou a obedecer a qualquer ordem de Moraes, depois que ele ordenou uma investigação sobre a disseminação da desinformação de Bolsonaro.

“Pare de oprimir o povo brasileiro. Pare de censurar o seu povo”, disse Bolsonaro, dirigindo seus comentários a Moraes.

READ  Miles Teller falou depois que sua esposa revelou que ele foi "atacado por dois homens" durante as férias no Havaí

“Estamos cada vez mais conservadores”, acrescentou Bolsonaro, sem mencionar Miller ou qualquer outro americano pelo nome. Estamos cada vez mais respeitando nossa lei e nossa constituição. Não permitiremos mais que gente como Alexandre de Moraes continue a açoitar nossa democracia e desrespeitar nossa Constituição. Ele teve todas as oportunidades de agir com respeito para com todos nós. Mas ele não agiu assim, porque ainda não age assim. Ele também interceptou um cidadão americano para ser interrogado sobre ações antidemocráticas. Que vergonha para o nosso país, patrocinado por Alexandre de Moraes. ”

Moraes não respondeu publicamente às alegações de Bolsonaro. Não está claro quem ou a autoridade brasileira ordenou o interrogatório de Miller e seus colegas.

Swanhilda Müller

"Jogador. Introvertido. Solucionador de problemas. Criador. Pensador. Evangelista vitalício de alimentos. Defensor do álcool."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top